4 de junho de 2014

Semana Intensa Demais #2

Oi gente, 
Vamos conhecer um pouco mais sobre o livro Intenso Demais? A cada informação nova, fico mais interessada nesse livro.
Se você não leu a primeira postagem, clique aqui.


Na entrevista abaixo a autora fala mais sobre o livro, personagens e a Banda D-bags que figura essa história intensa.
Confiram: 

A autora conta mais sobre Intenso Demais

De onde veio a inspiração para Intenso Demais?
SCS: Muitos sonhos acordada e muitas horas ouvindo música. Música é algo grande para mim quando estou escrevendo. Uma das maiores razões para Kellan estar numa banda é porque eu o vi tão claramente enquanto escutava algumas das minhas canções favoritas do Linkin Park, The Fray e One Republic (eu era obcecada com o álbum Dreaming Out Loud e não parava de escutar). Comecei a enxergar uma imagem clara do Kellan cantando no palco. Seu caráter floresceu desde aquelas primeiras visões. Por um tempo, ele era apenas meu cantor imaginário sem nome, alguém em quem eu pensava enquanto corria na esteira...e então eu me deparei com minha inspiração por Denny. Ele é baseado em um autor australiano fofo e adorável de nome Craig Horner. Eu comecei a imaginar alguma pobre garota tendo que escolher entre esses dois caras bem diferentes. Sentei uma noite e escrevi a cena da barraca de café. Depois comecei a perguntar a mim mesma um pouco do porquê, quando e como. Me diverti tanto descobrindo os eventos que levaram até essa cena, que eu imediatamente comecei a sonhar com cenas adicionais. Antes que eu soubesse, já tinha vários capítulos completos, e ainda mais perguntas a responder.

Algum personagem de Intenso Demais é baseado em alguém que você conheça? Alguma situação vem de uma experiência pessoal?
SCS: Me perguntam o tempo todo e isso sempre me faz sorrir. Eu amo que a história pareça tão plausível que as pessoas começam a se perguntar se é real... isto significa que estou fazendo alguma coisa certa. Mas, não, nada neste romance vem de uma experiência pessoal. A única similaridade com a minha vida é o fato de a Kiera ter alguns dos meus caprichos, inseguranças e aspirações de escrita.

Quais foram as suas inspirações para os outros livros?
SCS: A maioria dos meus livros começaram com uma imagem, ou às vezes, apenas um diálogo. Tramas e enredos provinham de uma troca ou ideia inicial. Com Collision Course, eu estava dirigindo para casa durante uma chuva torrencial e esperando que nada aconteça. Com It’s All Relative, eu estava assistindo um programa de TV e imaginei duas pessoas, que nunca pensaram em se ver novamente, encontrando-se para visitar a mesma pessoa no hospital. Com Not a Chance, eu estava em um banco, escutando uma garota falando no celular, contando para um amigo que sua carteira foi roubada. Com Conversion, eu estava assistindo um filme que não tinha nada a ver com vampiros... mas de alguma maneira eu comecei a pensar sobre um diálogo entre uma humana normal e um homem que era “um pouco” vampiro. Sempre que eu vejo ou ouço alguma coisa que me dê alguma ideia, eu anoto isso e coloco em uma pasta de “ideias”. Eu tenho muito mais histórias em minha mente do que tenho tempo de escrever!

Você pensa em fazer algo além do terceiro livro da série?
SCS: O terceiro livro talvez não seja o último livro que eu escreva com os personagens. Estou muito tentada em trabalhar em algo com Anna e Griffin. Eles realmente cresceram em mim, e Griffin é muito divertido de se escrever. Eu também andei pensando na ideia de um prequel para Thoughtless centrada em torno de Kellan e os D-Bags, quando eles se conheceram. E eu também considerei reescrever Thoughtless pelo ponto de vista de Kellan.

Como é a música dos D-Bags?
SCS: Há muitas músicas que me fazem pensar nos D-Bags. Partes de algumas canções me fazem pensar exatamente neles em minha mente – frases, palavras, respirações que me fazem suspirar. Mas estas músicas são aquelas que capturam perfeitamente o som da banda e o “tom” de Kellan.
“New Divide” do Linkin Park. Esta é A música dos D-Bags. São exatamente eles na minha cabeça.
“Leave Out All The Rest” do Linkin Park. Esta é a música favorita da Kiera. Aquela que ela ouve no primeiro capítulo, que a faz dar uma segunda olhada em Kellan.
“Shadow of the Day” do Linkin Park. A voz dele nessa música… linda. Exatamente como eu imagino o Kellan.
“What I’ve Done” do Linkin Park. Outra que é exatamente como os D-bags.
Como vocês podem ver, Linkin Park é como eu imagino os D-Bags. Estas músicas de outras bandas são muito próximas também:
 “Time After Time” - Quietdrive
“The Reason” - Hoobastank
“Come Undone” - My Darkest Days
“Can’t Forget You” - My Darkest Days
“Take a Picture” - Filter
“Gives You Hell” - The All-American Rejects
Montamos uma playlist com essas músicas:

Seus livros tem um desenvolvimento espetacular. Você costuma ficar “presa” quando escreve? Se sim, quais são os seus truques para voltar ao caminho?
SCS: Eu travo algumas vezes. Quando isto acontece, eu releio partes anteriores, olho minhas notas ou pulo esta parte por um tempo. Eu percebi que fazer coisas monótonas ajuda a clarear a minha mente, então eu faço uma caminhada ou limpo a casa. Por causa disso, você pensaria que a minha casa é muito, muito limpa... mas não, realmente não.

Nós ouvimos sobre o final original de Intenso Demais, de partir o coração. Você poderia nos explicar sua decisão de escrever originalmente um final assim? Você o planejou o tempo todo ou ele veio a você parte por parte até chegar nessa difícil decisão?
SCS: Isto foi um pouco duro, eu suponho. Eu lembro exatamente quando pensei nesse final. Eu estava completamente dentro da história e não sabia exatamente como queria que terminasse – garota com garoto 1, garota com garoto 2 ou garota sozinha. Depois, enquanto eu estava fazendo o jantar, a ideia de que a garota poderia ser morta chegou a mim. Parecia uma maneira diferente e inesperada de terminar, então eu comecei a pensar em como isto iria acontecer. E depois eu escrevi essa linha, “Ele implorava a mim durante horas por perdão todos os dias... e a cada dia eu o dava”. Eu decidi trabalhar em torno disto, e até escrevi os títulos dos livros que viriam depois deste final triste. A primeira sequência seria chamada “Fracture”, contada pelo ponto de vista do Kellan, sobre como ele lidaria com a morte de Kiera.

Qual foi a resposta dos seus primeiros leitores on line, quando eles viram esse final?
SCS: Eu tinha o final trágico e a história seguinte pronta muito antes de colocar Intenso Demais no FictionPress. Eu soube no meio do caminho quando postava a história que esse final não iria ser muito bem aceito. Eu sabia o quanto eu amava o Kellan, mas não tinha antecipado a resposta dos leitores a ele... e eles o queriam com a Kiera. Senti o maior aperto no meu estômago quando postei o final... apenas esperando pelos e-mails de ódio chegarem. E, assim que eu postei, os fãs que eu já tinha neste momento deram sua opinião. A maioria, como podem imaginar, não estavam felizes com o final. Alguns dos que odeiam a Kiera pensaram que era perfeito. Eu realmente levei cada resenha em consideração, porque eu estava feliz e triste com o final também.

O que a influenciou a revisá-lo e mudar para o final atual?
SCS: Algumas resenhas muito bem escritas no FictionPress me mostraram que um final alternativo ao meu trágico inicial não era apenas possível, como iria aprofundar a história. Como eu tinha uma relação de amor e ódio com o final original, comecei a realmente pensar em mudá-lo. Então, um fã me mostrou a música “Run”, no Snow Patrol, e a batida, o tom dela, instantaneamente me deu a ideia para o final atual. Eu me apaixonei pela cena em minha mente e decidi mudar de vez. Os fãs, em sua maioria, concordaram com a minha decisão.

Quem você imagina como Kellan? Algum ator, modelo ou músico que te “lembre” ele?
SCS: Ah, todo mundo quer saber como Kellan se parece. Honestamente, eu não gosto de dar muitos detalhes das minhas várias inspirações, que me levaram, a ele, porque eu amo que todos têm suas próprias versões do “homem perfeito”... e eu tive algumas excelentes imagens de alguns homens muito lindos e atraentes como resultado. E, realmente, todas as minhas inspirações originais para ele sumiram no segundo plano agora que Kellan é tão vivo em minha mente. 
Kellan se parece com... Kellan. Bem, exceto por esse cara aleatório que eu vi na padaria uma vez. Ele se parecia assustadoramente com o Kellan da minha mente que eu surtei! Eu queria ter tirado uma foto ele, mas isto teria sido muito estranho. “Hey, você se parece muito com o cara que eu imagino...” .










Espero que tenham gostado, pois eu adorei.
No próximo post irei mostrar a Banda D-bags, uns meninos bonitos para convencer as meninas que ainda estão indecisas quanto a compra de Intenso Demais.

Postagem válida para o Top Comentarista junho.

17 comentários

  1. Kellan deve ser mais um daqueles homens perfeitos que nos encantam. Ela está certa em não querer revelar suas inspirações..rs
    Espero ter a oportunidade de ler o livro.

    livrosvamosdevoralos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Depois dessa entrevista, que adorei, deu vontade de ler o livro logo! rs Estou meio que nutrindo uma paixonite pelo Kellan, desde já. hahaha XD E que final é esse? Quero ler, pra saber, correndo.

    ResponderExcluir
  3. Muito legal a entrevista. Foi demais conhecer os pontos de vista dela a respeito do livro e também da mudança que ela fez na parte final do livro. Amei conhecer mais sobre ela e sua obra. Beijos.

    ResponderExcluir
  4. Oi Katielle, boa noite. :D

    Menina, por mim não precisava nem mostrar a banda. HAHA Já me convenceu no primeiro post.
    Bom, eu amei a entrevista. A autora parece ser um amor de pessoa, e falando do livro, parece que quando ela vai descrevendo as coisas, estamos juntos da história. Uau! Sensacional. E o lance dela observar as resenhas dos fãs e decidir mudar o final do livro por outras opiniões foi incrível. Mostra o quanto ela aprecia o carinho dos leitores com sua obra. Show de bola.
    Ficarei por aqui.

    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Adorei a entrevista, acho legal saber um pouquinho mais da autora.
    E as musicasque ela cita tem algumas que amo, como Time After Time(é sou velhs rs), Leave Out All The Rest(acho linda esta musica), Can’t Forget You,..na verdade das musicas dela eu acho que gosto de todas rs. umas mais outras menos, mas são ótimas musicas.
    Então ela mudou o final do livro...vixe medo agora, ela com certeza mata alguém rs, tomara que eu goste..preocupada.
    beijos.

    ResponderExcluir
  6. Katielle!
    Bom saber que a escritora conseguiu dar tanta realidade aos personagens que os leitores acham que ela pode ter passado por tal situação ou ter vivenciado experiência de alguém, prova que está bem real.
    Gostei da playlist, dá mais identidade ao livro.
    Boa entrevista.
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
  7. Desde o primeiro post já me apaixonei por esse livro <3333333
    Eu também gosto de escrever ouvindo música, me identifiquei com a autora. As músicas... Bom, meio horrivel em lembrar nomes, hahaha.
    Um beijo.
    http://livrologias.blogspot.com

    ResponderExcluir
  8. Gente eu não consigo me convencer a ler esse livro, tem algo nele que ainda me afasta, e juro que não sei o que é, talvez o fato de serem músicos, aiii não sei rsrsrs
    confusa eu :S
    Quem sabe com o próximo post eu me anime, já que terá meninos bonitos *-*

    ResponderExcluir
  9. Caramba! Agora eu fiquei a fim de ler! Amei a entrevista dela. Achei que ela tinha dado um spoiler gigantesco e fiquei curiosa de saber o final. Mas ia achar legal se a personagem principal morresse. Ao menos diferente, né? Vou esperar o próximo post ainda pra decidir se vai pra lista de desejados. haha.

    ResponderExcluir
  10. nossa que maximo, que amorzinho essa autora! acho a premissa desse livro bem legal e essa capa chama a atençao kkkkk mas nao adianta eu querer insistir, eu nao consigo gostar de livros hots, ja tentei algumas vzs, mas nao me encanto muito nao :/

    ResponderExcluir
  11. Adorei conhecer a autora. E cara, ela tem inspirações como a banda Linkin Park! Adoro ouvir música quando leio/escrevo também então sei como a música pode ser inspiradora.
    Apesar de ter me apaixonado pela autora, o livro não me chama muito a atenção. Quem sabe em um futuro distante eu não mude meus hábitos literários e dê uma chance a série? Mas no momento, não o leria.

    ResponderExcluir
  12. Menina você esta me deixando super ansiosa para ler esse livro, adorei esse post, e acho que para todo mundo a musica é uma fonte de inspiração sempre escrevo muito ouvindo musica, não vejo a hora de poder ler o livro.
    Beijos!!!

    ResponderExcluir
  13. Meninas,
    Depois dessa entrevista eu praticamente saí correndo para comprar o meu. Tomara que depois de tanta propaganda o livro não seja decepcionante.
    Bjokas.

    ResponderExcluir
  14. Adorei a entrevista, assim a gente toma nota de detalhes que passamos a ver com outros olhos quando lemos! O bom é que a autora se sentiu estranha com o livro, nem pesnava em editar!

    ResponderExcluir
  15. Olha so ? Essa escritora é bem simpática. Odorei as musicas que ela escutou, eu tenho um gosto muito parecido, e acho ótimo que ela fez seus personagens baseados nisso. Achei legal também el ter um bloquinho pra anotar as ideias para os futuros livros, o que me lembrou a mim de novo pois eu tinha essas mesmas manias quando estava pensando em escrever um livro. Muito bom o post, devíamos entrevistar os escritores mais vezes kk.

    ResponderExcluir
  16. A cada post eu fico com mais vontade de ler o livro. A escritora é muito simpática e ainda bem que ela mudou o final do livro. Seria bem decepcionante, né?

    Beijos!!

    ResponderExcluir
  17. Obaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa, só sobre Intenso demais!!!
    Muiuto boooooooooooooom

    ResponderExcluir