19 de fevereiro de 2015

Deixe-me Ir - Daniela Sacerdoti

Livro: Deixe-me Ir (Take Me Home)
Autor (a): Daniela Sacerdoti
Número de Páginas: 296
Editora: Universo dos Livros
Compre aqui.

Sinopse: Deixe-me Ir - Em Deixe-me ir, segundo romance de Daniela Sacerdoti, a autora conta a história de Inary Monteith, uma editora que vive em Londres. Quando a irmã caçula encontra-se entre a vida e a morte, as coisas se tornam mais difíceis para Inary do que ela poderia imaginar. Após dormir com Alex, seu melhor amigo, ela o deixa de coração partido e viaja às pressas de Londres para a Escócia para cuidar da irmã doente.
Em sua cidade natal, Inary tem de lidar com emoções intensas e lembranças dolorosas das quais tenta fugir. Enquanto procura se esquivar dos sentimentos confusos que sente por Alex e redescobre seu passado ao lado da família, ela misteriosamente perde a voz e readquire um sexto sentido da infância: a capacidade de ver espíritos. E quando uma voz do passado fica ecoando em sua mente Leve-me para casa, ela percebe que para libertar a si mesma é preciso desvencilhar-se dos fantasmas passado.

RESENHA por Luciana Corrêa da Silva.

Oi pessoal, tudo bem?

A resenha de hoje é de Deixe-me Ir, uma publicação da Editora Universo dos Livros e escrito por Daniela Sacerdoti. Italiana de nascimento, mas escocesa de coração, a autora é best-seller, formada em Cultura Clássica e dá aulas de italiano, latim e grego.

Começo dizendo que não sabia muito bem o que esperar desse livro, nem ao menos tive indicação de alguém que tivesse lido e me convencido a ler, mas adoro quando arrisco e me dou bem, pois adoro ter boas surpresas. Com esse livro não foi diferente.

Ele conta a história de Inary, uma menina que vive em Londres, fugindo de uma desilusão amorosa e de coisas que afetam seu presente. Ela deixou tudo na Escócia (quando eu soube disso já me liguei, pois agora adoro tudo o que tem a ver com esse lugar), agora trabalha como editora, e segue com esperanças de que consiga escrever sua própria história, pois sonha em ser escritora desde pequena. Embora escreva bastante e tenha um livro em andamento, Inary nunca conseguiu deixar que alguém lesse o que ela escreve, pois sempre acha que o que produz não é bom o suficiente para ser lido. Na verdade, o que ela sente é confuso, sua vida é mesclada por problemas que estão muito além da possibilidade de resolvê-los.

Em Londres ela tem a amizade de Lesly e Alex, que são tudo para ela, amparo e amor verdadeiro, mas Inary deixou na Escócia seus dois irmãos, Logan e Emily. Esta última sofre de graves problemas cardíacos desde sempre e, com o agravamento de seu estado, Inary não consegue mais conviver com a dor da iminente perda e se distancia cada vez mais de sua cidade natal, Glen Avich. Isso gera certa raiva no irmão mais velho, que se sente abandonado e tendo que resolver tudo e cuidar da irmã doente sozinho. Eles já são órfãos e esse afastamento de Inary deixa um rastro de ainda mais dor e sofrimento.

Então, um belo dia (ou bela noite...), a mocinha resolve meter os pés pelas mãos e passar a noite com seu melhor amigo, Alex, e a partir daí, tudo vai ruir. Em vez de resolver as coisas entre eles, que sempre pareceram pendentes, ela volta às pressas para a Escócia, onde terá que ajudar os irmãos, pois Emily está nos seus últimos dias. Ela vai com o coração partido, mas deixa Alex ainda mais ferido, pois depois de três anos de espera, ele achava que agora eles se acertariam...

Meu estômago deu um ligeiro nó. Agora, depois de três anos passando as noites juntos no sofá assistindo a DVDs e dormindo no quarto extra um do outro, aparecendo sem convite em fins de semana para um almoço não combinado... depois disso tudo, um convite para ir `a casa dele não deveria me inquietar. Ou excitar. Ou inquietar e excitar ao mesmo tempo. Mas foi isso o que aconteceu.

Chegando a Glen Avich, ela tem de enfrentar os mais dolorosos problemas. Vêm à tona a perda trágica dos pais, a dor pela doença da irmã e tudo o resto do qual ela quis se afastar. Mas, assim que tudo desmorona, ela não só volta a ter de encarar os fantasmas (literalmente falando) do passado, como perde a voz e não consegue mais se comunicar, a não ser por meio dos gestos e da escrita. Ela perde essa capacidade, mas volta a ter o que descobriu ainda criança e que parece ser herança de família e passa a ver e ouvir os mortos.

Muitas pessoas em Glen Avich sabiam que a Visão corria na linhagem dos McCrimmon e em algumas famílias próximas. Mas apenas seis pessoas no mundo sabiam da verdadeira extensão do meu dom, e quatro delas já estavam mortas: meus pais, minha avó e Emily, Logan e Lewis. Ninguém mais. Ninguém mais poderia imaginar que esse dom, para as mulheres da família da minha mãe, era muito mais do que um sonho ocasional sobre um vislumbre do futuro, ou sentir uma presença de vez em quando. Era muito mais do que isso – muito mais forte, mais vívido. Real.

Sua vida passa por momentos de intensa dor e desesperança, mas é onde ela menos espera, que encontrará a saída. Eu achei o livro muito legal, me lembrou muito uma série que queria tanto poder terminar, chamada Eco dos Mortos, que a editora Intrínseca abandonou e nos deixou sem saber o que acontece no final.

O livro é muito bem escrito e editado, embora gostaria que o título fosse a tradução literal do original – Leve-me para Casa, pois teria feito mais sentido dentro do contexto. O fato da narrativa ser muito envolvente, intercalando os personagens como narradores é muito diferente e extremamente fácil de se ler sem parar. Somos levados por momentos de tristeza, mas que não chegam a abater-nos, e temos momentos de aventura e de alegria. Romance e uma intensa descrição de momentos íntimos nos levam a devorar as páginas bem escritas. Sem falar que o livro é um prato cheio para quem gosta de histórias sobrenaturais, onde os fantasmas são muito presentes e os mistérios que envolvem suas vidas deixam tudo ainda mais interessante.

O desespero é uma coisa engraçada, o modo como ele atinge você numa onda escarlate, fazendo-a gritar e soluçar e esbravejar contra o mundo; ou como ele pode simplesmente congelá-la no lugar, privando-a de toda energia e propósito arrancando a sua alma de você, deixando apenas uma concha vazia para trás.

Louvo também os personagens secundários que são um show à parte, e também as belas e nem um pouco entediantes descrições dos lugares pitorescos escoceses, com sua belíssima natureza, seus vilarejos e habitantes. Os modos de vida são belamente descritos e deixam uma pitada de “romance histórico” na trama já tão cheia de drama e suspense.

Indico com alegria para quem adora um romance bem escrito, lindamente elaborado e permeado por fantasmas e muita dose de superação e obstinação. Fiquei querendo mais algumas páginas...

Até a próxima, beijo.

Outras capas:

 

Postagem válida para o Top Comentarista Fevereiro.


20 comentários

  1. Oi Lu,
    Eu não esperava que tu fosse gostar tanto assim deste livro.
    Agora que li a resenha até que fiquei um pouco curiosa, principalmente onde tu diz que ela perde a voz, como assim ?!?! Até onde li não tinha indícios.
    Quem sabe daqui algum tempo eu volte a lê-lo novamente.
    Como sempre a resenha está linda.
    Beijão!!
    Katielle

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é... Perdeu playgirl, kkkkkkkkkkkkkkkk
      O livro é bem legal, Kati, quando ela perde a voz, passa a ver e entender as coisas de uma forma bem diferente e isso tudo, aliado a um amor e a uma morta específica que chama por ela, vão mudar tudo. Achei mesmo bem legal, beijo ;)

      Excluir
  2. O livro parece ser ótimo e essa resenha me deixou ainda mais interessada em conferi essa história.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Milena, vale muito a pena e se vc gosta de histórias envolventes, com superação e fantasmas vai gostar muito de ler esse livro. Beijo e obrigada pelo comentário ;)

      Excluir
  3. Adorei a resenha, não conhecia a autora, e nunca tinha visto ou ouvido falar sobre esse livro. Fiquei encantada com a resenha, não sei o porque, já que não costumo ler livros desse tipo, talvez seja por isso, estou tão presa nos meus NAs e YAs que acabo perdendo a oportunidade de ler histórias ótimas e belas. Fiquei curiosa com o "Leve-me para casa" imagina só ouvir isso na sua cabeça, do jeito que sou medrosa, surtaria. E acho que se fosse esse titulo teria mais haver com a história. Essa coisa dos espiritos também me lembrou da série Ecos dos Mortos que li os dois primeiros e a editora nos deixou na mão, e eu gosto muito, então acho que essa leitura seria uma ótima pedida.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Sabrina, fico muito feliz que tenha gostado da resenha, eu me surpreendi com esse livro e acho que ele merece muito ser lido. Beijo e obrigada pelo comentário ;)

      Excluir
  4. Oi! Não tinha visto esse livro ainda, mas parece ser interessante. Agora, no pior momento, a personagem vai ter que enfrentar tudo aquilo que ela fugiu um dia e se achar no presente. Fiquei curiosa ao saber que ela perde a voz, acho que isso vai impulsiona-la em sua carreira de escritora.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Nadja, garota esperta vc hein... kkkk Que bom que gostou da resenha e se interessou pelo livro, beijo e obrigada!

      Excluir
  5. Esse é um livro que provavelmente passaria despercebido por mim.. a sinopse é interessante.. mas não me prendeu muito.. mas foi muito bom conhecer sua resenha.. deu pra conhecer um pouco mais sobre o livro e claro me deu vontade de ler.. eu acho legal ter fantasmas envolvidos..

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Amanda, comigo foi a mesma coisa, por isso me surpreendi tanto, que bom que a capa enganou kkkkk Beijo e obrigada pelo comentário, espero que goste da leitura ;)

      Excluir
  6. O livro parece ser bem legal Lu, gostei de misturar essa coisa sobrenatural no meio. E nossa, perder a voz assim do nada? Tem explicação pra isso? Fiquei bem curiosa!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. oi Nathalia, essa coisa de perder a voz foi bem interessante e até divertido, um ponto a mais pro livro... Que bom que te causei interesse, espero que goste de ler. Obrigada pelo comentário, beijo

      Excluir
  7. Nossa!!
    Pelo título e pela capa, nunca poderia imaginar que se tratava de um livro com aspectos sobrenaturais.
    Aii.. chato quando a tradução do título não condiz com a história, né?!
    Desnecessário mudar o título!
    Adorei o livro. Não conhecia. Obrigada pela indicação.
    Beijos!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Priscila! Também sou a favor das capas e títulos originais e não entendo pq mudam... Adorei o livro, espero que vc goste também, beijo e obrigada pelo comentário!

      Excluir
  8. Oi Luciana...
    Ainda não conhecia este livro, mas gostei do enredo.
    Apesar de não gostar muito de sobrenaturais, acho que os outros elementos do livro me fariam ler ele.

    livrosvamosdevoralos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Leticia, que bom que despertei teu interesse, eu gostei muito desse livro. Beijo e obrigada pelo comentário ;)

      Excluir
  9. Olá, Luciana.
    Eu gostei bastante da premissa do livro e saber que os personagens são excelentes me anima mais ainda.
    Fiquei curioso quanto à relação da protagonista com o amigo.

    M&N | Desbrava(dores) de livros - Participe do nosso top comentarista de fevereiro. Você escolhe o livro que quer ganhar!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, que bom que gostou da resenha e se interessou pela leitura, eu acho que vale muito a pena. Obrigada pelo comentário, beijo.

      Excluir
  10. Oi Lu :}

    Não conhecia o livro, mas assim que li a sinopse soube que ia gostar. Achei um pouco confusa a história toda , mas pelo que percebi a vida da protagonista é mesmo uma baita confusão, na maioria das vezes bem ruins eim!
    Gosto quando o autor sabe trabalhar bem com todos os personagens, tanto protagonistas como secundários. Adorei a resenha, vou procurar mais sobre o livro, porque até então não o vi em nenhuma loja.

    Beijos.
    http://passeandocomoslivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Vitória, que bom que gostou do livro, eu me surpreendi com o quanto ele é bom. Eu vi ele pra vender na saraiva e na cultura aqui em Porto Alegre, espero que vc ache também e goste tanto quanto eu. Beijo e obrigada pelo comentário e pela confiança ;)

      Excluir