12 de maio de 2015

Ligeiramente Maliciosos - Mary Balogh

Livro: Ligeiramente Maliciosos
Saga Os Bedwyns #2
Autor (a): Mary Balogh
Número de Páginas: 288
Editora: Arqueiro (parceria)
Compre aqui.

Sinopse: Após sofrer um acidente com a diligência em que viajava, Judith Law fica presa à beira da estrada no que parece ser o pior dia de sua vida. No entanto, sua sorte muda quando é resgatada por Ralf Bedard, um atraente cavaleiro de sorriso zombeteiro que se prontifica a levá-la até a estalagem mais próxima.
Filha de um rigoroso pastor, Judith vê no convite do Sr. Bedard a chance de experimentar uma aventura e se apresenta como Claire Campbell, uma atriz independente e confiante, a caminho de York para interpretar um novo papel. A atração entre o casal é instantânea e, num jogo de sedução e mentiras, a jovem dama se entrega a uma tórrida e inesquecível noite de amor.
Judith só não desconfia de que não é a única a usar uma identidade falsa. Ralf Bedard é ninguém menos do que lorde Rannulf Bedwyn, irmão do duque de Bewcastle, que partia para Grandmaison Park a fim de cortejar sua futura noiva: a Srta. Julianne Effingham, prima de Judith.
Quando os dois se reencontram e as máscaras caem, eles precisam tomar uma decisão: seguir com seus papéis de acordo com o que todos consideram socialmente aceitável ou se entregar a uma paixão avassaladora?
Neste segundo livro da série Os Bedwyns, Mary Balogh nos conquista com mais um capítulo dessa família que, em meio ao deslumbramento da alta sociedade, busca sempre o amor verdadeiro.

RESENHA por Luciana Corrêa da Silva.

Oi gente, como vão?

O desafio de hoje é pensar em uma pessoa reprimida. Pensou? Então assim você já entra no clima para conhecer melhor a Judith Law, uma moça pobre coitada, parecidíssima com a Cinderela. É a personagem principal de Ligeiramente Maliciosos, lançamento da Editora Arqueiro. O livro é o segundo da série Os Bedwyns, escrito por Mary Balogh. Mary é nascida e criada no país de Gales e veio para a América (Canadá) para passar dois anos, mas apaixonou-se, casou e lá mora até hoje. Sempre quis ser escritora mas, somente depois de 20 anos de magistério, conseguiu dedicar-se inteiramente à escrita, o que lhe rende, há anos, inúmeros prêmios literários.

Judith é uma moça recatada e feliz. Vive em um ambiente familiar com um pai austero e muito sancionador, mas a convivência com as irmãs torna sua vida bem agradável. Ela teve a desgraça de ser a filha do meio e não ter nenhum atributo encantador. Possui lindos e chamativos cabelos ruivos, algumas sardas e, assim que cresceu, ganhou um corpo bem torneado e longas pernas, mas isso é, para ela e a família, motivo de vergonha. Então, a missão de sua família é fazê-la sentir-se invisível, usando roupas frouxas e toucas para esconder essa beleza exótica. Bom, não bastasse tudo isso, ela tem um temperamento amigável e, embora inteligente e sabedora de tudo o que acontece ao redor, ela vai seguir como uma ovelha no matadouro.

Seu irmão, único varão, herdeiro de tudo, é um bon vivant que gasta desenfreadamente. O pai, sem dizer não para o herdeiro voluntarioso e mimado, faz todas as vontades e dispensa tudo o que tem para que Branwell divirta-se em Londres, enquanto a família passa necessidades no interior. As coisas estão cada vez piores e o pai vê a necessidade de mandar uma das filhas para viver com uma tia muito má, que precisa de ajuda para cuidar de sua avó. Nenhuma das outras irmãs, por uma razão ou por outra, pode ir. Então Judith pega (sozinha) uma diligência e vai embora para a casa dos tios.

Um acidente acontece, chove muito, e em meio ao lamaçal a carruagem tomba e fere seus ocupantes. Judith ajuda os passageiros que estão molhados e feridos na beira da estrada, esperando por ajuda, quando chega um homem a cavalo que oferece uma carona à moça. Esse desconhecido, encantador e com ar de dignidade, é Rannulf Bedwyn, que se apresenta como Ralf Bedard, e a leva até a próxima estalagem.

Ela vê-se diante de um momento único na vida: poderá viver uma aventura, poderá libertar-se por alguns momentos e interpretar uma mulher livre e dona de sua vida. Assim ela faz; mesmo nervosa, segue seu coração e vai com ele para a estalagem. De cara, ela sente algo mais por ele, ela sente uma segurança, uma atração inexplicável, e se entrega de corpo e alma ao desconhecido.

Era difícil de acreditar que apenas duas manhãs atrás ela fora Judith Law. Agora, ela já não sabia mais quem era.

Na manhã seguinte, ela combina com ele de seguirem juntos, viverem uma aventura amorosa enquanto suas vontades permitirem. Acontece que Judith tem que chegar logo na casa dos tios e assim ela foge de seu sonho, de seu lindo e amoroso amante. Só que o destino não facilita pra ninguém, né? Assim que ela chega na casa dos tios, depara-se com uma prima mimada, voluntariosa, cheia de “mimimi”, e uma tia que foi a mestra de tudo isso. Ela enfrentará situações horríveis, perversas e humilhantes, até o dia em que o pretendente da prima vai fazer uma visita e ela dá de cara com aquele homem maravilhoso, que foi o seu amante durante a viagem.

Os dois percebem que um mentiu para o outro. Ela não era uma atriz livre e cheia de amor pra dar? Ele não era um simples viajante em vez de um nobre, rico e herdeiro da avó? Aiaiai… esses dois aprontaram muito e agora terão que lidar com as consequências de seus atos.

Rannulf não tinha certeza, mesmo ela tendo dito isso, se não era pouco galante da parte dele fazer o que tinha vontade, se não estaria simplesmente tirando vantagem da vulnerabilidade dela. Mas ele não era um super-herói sem sangue nas veias. Que Deus o ajudasse, era um homem.

Se eu disser que adorei o livro, se eu disser que li tudo rapidinho e não consegui largar, todo mundo vai acreditar porque esse é meu estilo. Mas o que eu mais gostei de tudo o que eu li foi a veracidade e os momentos de apreensão que são muitos, mas na medida certa. O livro é todo uma montanha-russa de sentimentos e de uma aventura maravilhosa, que engloba suspeita de traição, roubos e tentativa de estupro. Assim como o primeiro livro, esse segundo é muito bom e eu gostei ainda mais.

Os Bedwyns são impossivelmente maravilhosos e saberemos muito mais sobre eles nos próximos livros que virão. Aguardo ansiosa por Ligeiramente Escandalosos, que contará a história de Freyja.

Super indico para quem adora romances históricos, com uma pitadinha hot e momentos deliciosos.

Leia, curta e até a próxima! Beijo.

Saga Os Bedwyns:
02. Ligeiramente Maliciosos;
03. Ligeiramente Escandalosos;
04. Slightly Tempted;
05. Slightly Sinful;
06. Slightly Dangerous;

Outras capas:

   


Postagem válida para o Top Comentarista maio.


7 comentários

  1. Luciana, eu já ouvi falar tão bem dessa série na blogesfera que já me sinto íntima dela. hahhaah
    Infelizmente ainda não li nenhum dos dois, mas já estou apaixonada e quero muito ler.
    É tudo que eu amo em um livro só. Romance histórico, hot, simplesmente perfeito.
    Amei sua resenha e quero ler pra ontem.

    Lisossomos

    ResponderExcluir
  2. já ouvi falar dessa serie e embora eu ame de todo o meu coraçao livros de época, ainda nao li nenhum livro da serie os bedwyns, adorei a resenha o livro pra mim ja é incrivel e com certeza assim que der vou ler todos os livros.

    ResponderExcluir
  3. Oi Lu,
    Amei a tua resenha e amo ainda mais este livro... kkkkkkkk
    Estou ansiosa esperando pelo próximo, já tenho a informação de que será publicado em setembro... acho que vamos trazer ele da Bienal.
    Beijoss

    ResponderExcluir
  4. Já estava super ansiosa para por esse livro, mas depois de ler sua resenha, Luciana, preciso dele, tipo, para ontem. Sou apaixonada por romances de época. Li o primeiro volume dessa série e amei, e já me disseram que ela só melhora com os volumes seguintes.

    ResponderExcluir
  5. Estou doida pra ler esse livro, amei o primeiro dessa série, Ligeiramente Casados, curto muito romance histórico e depois de ler essa resenha tenho certeza que vou amar ainda mais esse Ligeiramente Maliciosos, já estou super curiosa em ler Ligeiramente Escandalosos e conhecer a história da exótica Freyja.

    ResponderExcluir
  6. Luciana nem preciso mais elogiar suas resenhas, vc já sabe minha opinião.
    Também amei esse livro e gostei do primeiro. Mas confesso que no final da história apesar de entender seu jeito, achei que Judith demorou um pouco a aceitar e acreditar no sentimento do Ralf.
    Enfim estou curiosa por mais personalidades dessa família!!!
    Beijos

    Leituras, vida e paixões!!!!

    ResponderExcluir
  7. Já via algumas resenhas sobre esse livro em outros blogs e gostem muito da tua. Ela me fez entender mais a história e ri um pouco quando tu falou da prima e o seu "mimimi" kkk. Lembrei de um amigo meu que sempre falava isso na hora que a gente reclamava das provas na escola: -que comece o mimimim! kkk
    Enfim, sobre a história, eu mais que gostei. Tô louca para saber como eles vão agir depois de descobrir toda a verdade, que ambos mentiram mais que nu fundo, ficou algo daquela noite que eles viveram. kkkk

    Beijos

    ResponderExcluir