15 de julho de 2015

Eu Estive Aqui - Gayle Forman

Livro: Eu Estive Aqui (I Was Here)
Autor (a): Gayle Forman
Número de Páginas: 240
Editora: Arqueiro (parceria)
Compre aqui.

Sinopse: Quando sua melhor amiga, Meg, toma um frasco de veneno sozinha num quarto de motel, Cody fica chocada e arrasada. Ela e Meg compartilhavam tudo... Como podia não ter previsto aquilo, como não percebera nenhum sinal?
A pedido dos pais de Meg, Cody viaja a Tacoma, onde a amiga fazia faculdade, para reunir seus pertences. Lá, acaba descobrindo muitas coisas que Meg não havia lhe contado. Conhece seus colegas de quarto, o tipo de pessoa com quem Cody nunca teria esbarrado em sua cidadezinha no fim do mundo. E conhece Ben McCallister, o guitarrista zombeteiro que se envolveu com Meg e tem os próprios segredos.
Porém, sua maior descoberta ocorre quando recebe dos pais de Meg o notebook da melhor amiga. Vasculhando o computador, Cody dá de cara com um arquivo criptografado, impossível de abrir. Até que um colega nerd consegue desbloqueá-lo... e de repente tudo o que ela pensou que sabia sobre a morte de Meg é posto em dúvida.
Eu estive aqui é Gayle Forman em sua melhor forma, uma história tensa, comovente e redentora que mostra que é possível seguir em frente mesmo diante de uma perda indescritível.

RESENHA por Luciana Corrêa da Silva.
Facebook | Twitter | Skoob | Capinhas da Lu

Oi, tudo bem?

Hoje a resenha é de Eu Estive Aqui, escrito por Gayle Forman, autora de sucessos como Se Eu Ficar e Para Onde Ela Foi. Esse livro já teve os direitos negociados para o cinema e não tenho dúvidas de que será um grande sucesso. A autora mora atualmente no Brooklyn, com o marido e as filhas.

O livro conta a história de Cody, e talvez você ache que tudo o que é contado é um pouco mórbido, por ser uma história que começa após a morte de sua melhor amiga. Bom, vou começar do começo, afinal, a busca por entender o suicídio de Meg tornou-se a razão de viver da moça.

Meg dizia que era Willow, a parceira com poderes mágicos, mas estava enganada: ela era Buffy e Willow, força e magia, tudo em um pacote só. Eu apenas pegava carona no brilho dela.

Cody e Megan são melhores amigas desde sempre. Juntas elas dividem uma vida mediana, mas ambas sonham com o dia em que deixarão a cidadezinha pra cursar a faculdade fora e sair da sombra de suas vidas indesejadas, em uma cidade pequena onde todo mundo fofoca sobre todo mundo. Bom, acontece que, como Meg tem uma família estruturada e um pouco mais ambientada, ela consegue e a amiga não. Então Meg vai embora para Tacoma e lá passa a viver em meio a muitas coisas novas; novos amigos, novas possibilidades... Elas continuam se falando por e-mail, mas a gente sabe que, mesmo estando em contato todos os dias, a distância é sim uma barreira desagradável.

Aí Meg comete suicídio e sua amiga, que se sentia meio deslocada, começa uma busca pelos fatos, pelas coisas que possam ter passado pela cabeça dela. Bom, o problema é que Cody vai à Tacoma, a pedido dos pais de Meg, pegar suas coisas que ficaram no quarto da república, e lá ela percebe que já não conhecia a amiga tanto assim. Ela descobre que Meg deixou um “rolo” com um carinha de uma banda e um computador com misteriosas pistas apagadas. As coisas não param por aí, ao entrar em contato com os colegas de apartamento da amiga, descobre que Meg era uma pessoa bem mais solta e que muito das coisas relatadas fazem sentido e as peças começam a se encaixar.

O mistério é aberto diante dos nossos olhos, de forma lenta e singela. A autora nos apresenta o problema da depressão, os dilemas de uma vida vivida sem muito sentido e isso vai nos transformando ao longo da leitura. A forma como a dor, a falta, o sentimento de exclusão fazem com que entendamos o que leva uma pessoa a fazer isso e a coragem que é necessária. É incrível a entrega tanto de quem escreve quanto de quem lê. Não é uma leitura que te fará chorar, mas com certeza, vai te revirar os sentimentos e te fazer roer as unhas até a carne.

Aprendi na aula de física que o universo está se expandindo em uma razão de mais ou menos 70 quilômetros por segundo, mas não parece, quando você está parada no mesmo lugar.

Essa morbidez a respeito do assunto do suicídio é posta de lado quando sentimentos tão bonitos nos são expostos. A amizade e a linda ligação entre as amigas, o envolvimento familiar que faz com que Cody não se conforme em perder sua metade para a tristeza e para o fim.

É triste ver a perspectiva de quem quer tirar sua vida, pensando naqueles que vão ficar, como eles vão se sentir e o que vão fazer; será que vão sofrer muito a falta? Mas não pense que é um livro pesado, que a leitura é demorada. Muito pelo contrário, eu só conseguia largar o livro quando as minhas pálpebras não me obedeciam mais, hehehe… E, confesso que talvez o que eu mais goste de ler nessa autora, que eu consigo identificar em todos os livros, seja o modo como ela coloca a realidade crua, como ela revela as coisas como são; ela não amacia, não abranda. Só por isso, para mim, já basta para ser interessante.

Linda história, espero que você goste também. É engraçado, mas Gayle Forman não decepciona, mesmo quando é algo tão diferente e desafiador. É uma jornada pelo perdão em busca de uma liberdade ainda desconhecida.

Beijo e até a próxima. Obrigada por ler!

Outras capas:

   


 Postagem válida para o Top Comentarista julho.


25 comentários

  1. Oi Luciana,

    Eu já li Se eu Ficar e Para onde ela foi dessa autora e acho que ela escreve muito bem e de forma leve, apesar de tratar de temas de certa forma tensos (como foi o caso de Se eu Ficar, falando sobre a morte), o que torna difícil não gostar e até mesmo largar os livros que ela escreve. Eu gosto que ela não se estende muito pra definir rumos e concluir as histórias, assim os livros são curtos mas muito interessante. Esse livro em particular parece ter uma história linda sobre os rumos que tomam amizade, mas me diz uma coisa, não tem romance? (não que isso desmereça o livro, é só curiosidade).

    :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Lili, tem sim, mas não da forma como a gente vê normalmente, sei lá... A Gayle conseguiu colocar isso de forma muito sutil e, com certeza, não está no primeiro plano, digamos assim, kkkkk (tô tentando não te dar spoiler)... Mas já te adianto, vc vai gostar e não vai sentir falta de nada. É um livro especial, digno e muito intenso... Obrigada pelo papo, kk Beijão

      Excluir
    2. Obrigada pela resposta Lu ;)

      Excluir
    3. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    4. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
  2. Oi Lu..
    Estou curiosa para ler este livro. inda não li nada da autora, mas ela parece que toca mesmo as pessoas. O tema levantado faz isso com os leitores.
    Mostrar o mistérios aos poucos sempre agrada mais, e mostrar a realidade parece ser a marca registrada dela.

    livrosvamosdevoralos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Letícia, adorei seu comentário, captou muito bem o que eu quis trazer com a resenha. Obrigada!!! beijo ;)

      Excluir
  3. Adorei a resenha! Ainda não li nenhum livro da autora Gayler Forman, mas tenho vários em minha lista de leitura, inclusive Eu Estive Aqui, e lendo sua resenha só fiquei mais ansiosa para ler este livro, a história parece ser ótima, cheia de aventuras e mistérios, pretendo ler em breve.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Mariele, que bom que se interessou, a autora mantém mesmo um certo diferencial que mantém seus livros num status só dela... Espero que goste. Obrigada pelo comentário, beijo

      Excluir
  4. To doidinha pra ler esse livro. Dessa autora, só li Se eu Ficar e Pra Onde ela Foi e gostei, mas algo me diz que esse eu vou curtir mais rs. Gostei de saber na sua resenha que o livro não é tão pesado por causa do suicídio, mas tb tem muito sentimento envolvido pq retrata a amizade e a ligação entre essas amigas. Tô ansiosa pra ler ;)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Crika, é bem isso mesmo que vc falou... Espero que goste tanto quanto eu, já tenho meu palpite de que se vc gostou dos anteriores, vai adorar esse também. Beijo e obrigada, querida...

      Excluir
  5. Amiga também li esse livro a pouco e senti o mesmo que vc. Foi meu primeiro contato com a escrita da autora e agora irei investir nos seus outros títulos; diferente de outras pessoas não vejo problema com a semelhança nas capas dos livros dela, acho todas lindas.
    Pensei que seria um livro tenso e até denso, mas foi uma leitura extremamente rápida e envolvente, além de fazer o leitor refletir sobre os assuntos abordados e acompanhar a superação dessa perda pela personagem, quer dizer seu início de aceitação.
    Enfim parabéns pela leitura, resenha e pelo ótimos post. Beijos

    Leituras, vida e paixões!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Aline, eu vi que vc estava lendo ao mesmo tempo que eu... Quero logo ler sua resenha. Obrigada pelas palavras, parece que gostamos mesmo das mesmas coisas, kkkk Beijinho e obrigada pelo comentário e pelo carinho de sempre ;)

      Excluir
  6. Lu, o link do top comentarista nesse post ta indo pro skoob :/
    (depois pode apagar essa minha msg, se quiser)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Crika,
      Já arrumei o link. Obrigada por avisar! :D
      Beijo

      Excluir
  7. O que seria de nós sem essas leitoras maravilhosas??? Beijão!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. hahaha obrigada, meninas!
      To aqui atenta pra colar meu nome direito nas postagens e não fazer lambança rsrs ;)

      Excluir
  8. Lu!
    Suicídio é um assunto muito doloroso, principalmente para se abordar em um livro, já que não tem como discutir o lado psicológico da questão.Depressão e conflitos interiores podem mesmo levar a atitude extrema.
    Li outros 3 livros da autora e gostei demais.
    Gostaria de conferir esse também.
    “Ser feliz sem motivo é a mais autêntica forma de felicidade.”(Carlos Drummond de Andrade)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    Participe no nosso Top Comentarista!


    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Rudy, realmente é um assunto bem pesado, mas a autora nos faz refletir sobre isso de modo bem envolvente e cheio de emoção. Acho que vc vai gostar também... Beijo e obrigada!

      Excluir
  9. Oii
    Ainda não li nada da autora, mas pretendo ler.
    Esse livro me chamou atenção, pelo fato de ser um suicídio e tal, parece um livro muito lindo e triste em alguns pontos.
    Beijos :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Cynthia, o assunto é triste, mas a autora não nos faz sentir isso ao longo da leitura. Somos envolvidos por muito mais, então fica bem interessante de ler. Espero que goste tanto quanto eu. Beijo e obrigada ;)

      Excluir
  10. Oi Lu!
    A capa preta é bem mais bonita que as outras...
    Depois de Se Eu Ficar confesso que não me vi muito interessada por outros livros da autora, ela escreve muito bem sim mas eu não sou grande fã desse drama todo sabe. Maaaas eu gostei muito da sua resenha e fiquei muito curiosa pra saber o que levou a Meg a se suicidar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Nathalia, eu não sei bem o que me fisga, se é todo o clima de mistério, se é a escrita da autora... Só sei que n]ao tem jeito, sai livro dela eu tenho que ler, kkkk Beijo, obrigada... Ah, concordo quanto à capa, tb achei mais bonita ;)

      Excluir
  11. Eu gostei muito do livro, que apesar de ter toda história da depressão, da insegurança da Cody, da semelhança de história de vida de Cody e Ben, o romance e a amizade que nasceu entre eles e os amigos de Meg, é maravillhosa! Me emocionei em cada pedaçinho do livro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Clarice, me senti assim como vc. Parece que a gente gosta bastante das mesmas histórias, né? Beijo e obrigada, querida, até a próxima!

      Excluir