30 de novembro de 2015

Lançamento - Faro Editorial

Oi pessoal, 
A Faro Editorial divulgou a capa do próximo livro da série As Crônicas dos Mortos.
A Ilha dos Mortos é de Rodrigo Oliveira e será lançado em fevereiro.

A Ilha dos Mortos - Rodrigo Oliveira.
Passaram-se vários anos desde que a maior colônia de sobreviventes do Apocalipse zumbi se transferiu para Ilhabela. Separada do continente por uma faixa de 1km de mar atlântico, a ilha surge como um ambiente seguro para as novas gerações, e distante das ameaças da Senhora dos Mortos e sua horda de zumbis.
Desde então, muitas coisas mudaram. Personagens importantes morreram e novos combatentes foram treinados para erguer a comunidade e recriar o sistema de administração e leis. Parecia que o mundo estava retomando o seu curso de paz.
Os habitantes de Ilhabela tinham agora formas mais seguras de lidar com os zumbis, então descobrem que alguns zumbis também mudaram. A forma de contaminação se torna mais rápida. Eles estão mais selvagens, ágeis e violentos. Deixe-nos apresentar uma evolução dentre os próprios mortos vivos...
E este não é o único novo problema. Com a reorganização da sociedade, o poder retoma o seu valor, e isto também, atrai ainda mais perigos.
Há uma grande espera pelo reencontro das irmãs, Isabel e Jezebel.
Este livro traz o surgimento de uma nova era, cruel e implacável, onde a perseverança dos sobreviventes e seus líderes será testada de forma muito diferente. Um livro cheio de reviravoltas, de movimentos bruscos, de cenas impensáveis.
“Onde encontrar esperança para continuar lutando quando a sua maior razão para viver se foi para sempre?”
Quarto livro da grande saga de ação e suspense, “As Crônicas dos Mortos”.
Deixai toda esperança, vós que entrais! - A Divina Comédia – Dante Alighieri


28 de novembro de 2015

Promoção Especial #05

Oi gente, tudo bom?
Hoje entra no ar o quinto sorteio especial. Essa semana será sorteado a Trilogia Faeriewalker da autora Jena Black.



O vencedor (a) levará para casa:

  • Trilogia Faeriewalker.


Como participar:
Preencher o formulário Rafflecopter.

Regras:
1. Ser residente no Brasil.
2. Curtir a página do blog no Facebook.
3. O participante deverá compartilhar a imagem da promoção publicamente e deixar o link no formulário.
4. O ganhador terá dois dias para enviar os dados para envio dos prêmios.
5. Os prêmios serão enviados em até 45 dias.
6. O blog Leitura Maravilhosa não se responsabiliza por um segundo frete caso os livros retornem.
07. Promoção válida até 04/12.

* Diariamente o formulário abrirá um campo para o link de compartilhamento ser inserido, portanto, a imagem pode ser compartilhada todos os dias até o final da promoção.
* Qualquer dúvida entrar em contato através do e-mail: katielle.borba@gmail.com

a Rafflecopter giveaway

26 de novembro de 2015

Amor no Ninho - Maribell Azevedo

Livro: Amor no Ninho 
Autor (a): Maribell Azevedo
Número de Páginas: 360
Editora: Universo dos Livros
Compre aqui.

Sinopse: Num mesmo ninho, podem nascer diferentes tipos de amor.
Em sua chegada à casa dos Harrison, Marina é tomada por um grande impacto ao conhecer seu novo irmão adotivo, Daniel. Os vívidos olhos azuis do garoto a fascinam de imediato, e, à medida que o tempo passa, ela se sente cada vez mais atraída por ele, descobrindo brotar em seu coração a semente de um amor proibido.
Quando vê seu desejo tornar-se incontrolável, ela precisa decidir se continua vivendo à sombra de uma máscara ou se aceita o desafio de revelar seus sentimentos...
Mas o futuro é traiçoeiro e repleto de armadilhas. Será que, para viver este amor, ela estará preparada para enfrentar o preconceito da sociedade e as surpresas que o destino lhe reserva?

RESENHA por Luciana Corrêa da Silva.

Oi gente, como estão?

A resenha de hoje é de um livro que foi mandado pela Editora Universo dos Livros para os seus parceiros. Esses livros, ditos em pré-lançamento, são novas apostas da editora e este é um livro que vale a pena resenhar. Amor no Ninho é de Maribell Azevedo, uma escritora brasileira, graduada em Museologia que se declara leitora ávida.

Amor no Ninho conta a história de Marina, uma menina órfã que vive na Inglaterra. Um belo dia, ela é visitada por um casal que a adota e ela ganha uma família maravilhosa. Agora ela tem novos “companheirinhos”, pois ganha duas irmãs e um irmão. Ela é a caçula da casa, todos a adoram pois ela é mesmo um amor de menina, e tudo segue normal e maravilhoso, pois Marina não poderia ter tido sorte maior.

Marina é uma menina feliz, apesar de tudo, ela ganhou pais atenciosos e carinhosos e irmãos compreensivos e que a querem em suas vidas. O problema é que seu mais novo irmão, Daniel, um garoto branquelo, magrelo e portador de lindos olhos azuis chama mais atenção em meio a tudo isso. Ela é ainda uma menina, mas o que ela sente por ele, já a primeira vista, é algo completamente novo e desconhecido, mas que jamais sairá do seu coração. Daniel torna-se o seu príncipe, e o conto de fadas de sua vida agora é completo.

Eles me rodearam, observando-me. Foi então que aconteceu. A partir daquele momento em que fui atingida por um sentimento muito forte, e naquele instante alguma coisa nasceu dentro de mim. Apesar da pouca idade, eu sabia que ali havia sido plantada a semente de algo especial e único, algo que no futuro chamaria amor. Quando ele veio à escada e nossos olhares se encontraram, o mundo pareceu menor, porque ele se tornou o meu mundo. Aquele menino bonito, que me fitava com desconfiança, transformou-se no príncipe encantado dos meus sonhos infantis.

A menina cresce, mas seu encantamento pelo “irmão” Daniel, ao contrário de diminuir, só aumenta e agora ela se preocupa com o que seu comportamento possa lhe denunciar. Ela não tem com quem contar dentro de casa, apesar de ser muito próxima dos irmãos, dos pais… Ela não pode jamais deixar que ninguém saiba do que ela sente por Daniel. Ainda bem que ela tem Shanti, sua querida amiga, uma menina prática, despojada, de coração aberto. É Shanti que caminhará com Marina por esse terreno perigoso.

O amor fica escondido, engavetado, encerrado em olhares, letras de músicas, suspiros. Chegará o ponto em que esse sentimento terá o poder de influenciar no relacionamento de Marina e Daniel com outras pessoas. Eles são jovens normais, agora saem com amigos e ficantes, mas como conseguirão se relacionar com outras pessoas, quando um só quer é estar com outro? Como eles lidarão com isso é que faz com que a história se transforme diante dos nossos olhos.

Tenho que admitir que esse livro me pegou no contrapé, eu não estava nem um pouco animada, não esperava grande coisa, achei a sinopse um tanto clichê e também achei que a história seria sofrida e arrastada. Qual foi minha surpresa? O livro é muito fofo, mas não deixa de nos fazer trincar os dentes e sentir emoções incríveis. A história entre eles é muito bonita, o sofrimento é real e os personagens são muito encantadores. Daniel é educado, atencioso e extremamente passional. Marina é delicada, inteligente, carinhosa e sensata, dentro do possível, para uma jovem perdidamente apaixonada. Falo isso porque achei alguns momentos muito difíceis para os pais, pois tenho essa visão do lado da mãe e o que ela pode sofrer pelos filhos.

A autora nos presenteia com um romantismo único, momentos de emoção e alegria… Possui uma sensibilidade incrível para nos apresentar uma história tão profunda e delicada. Seus personagens são decididos e fortes e temos também um incrível diferencial que é o foco da história sobre os personagens secundários. Nenhum deles medirá esforços para conseguir o que quer e viajamos juntos nessa determinação. Os sentimentos e a presença de Daniel é um grande ponto forte, lindo e libertador do livro.

Como se sabe quando finalmente encontramos o verdadeiro amor? Será que está predestinado desde a aurora dos tempos? Aquele amor nos completava de tal forma que se tornava tão essencial como o ar em nossos pulmões, como o sangue que circulava em nossas veias, como o espírito que habita em nós. Não sei dizer pelos outros, mas para mim aquele amor existia e o que estávamos vivendo já era resposta suficiente.

Finalizando, o livro é incrível, uma grande surpresa, adorei e recomendo para quem adora um romance bem açucarado.

Leiam e divirtam-se! Até a próxima!

Postagem válida para o Top Comentarista novembro.


24 de novembro de 2015

A Menina da Neve - Eowyn Ivey

Livro: A Menina da Neve (The Snow Child)
Autor (a): Eowyn Ivey
Número de Páginas: 352
Editora: Novo Conceito
Compre aqui.

Sinopse: Alasca, 1920: um lugar especialmente difícil para os recém-chegados Jack e Mabel. Sem filhos, eles estão se afastando cada vez mais um do outro. Em um dos raros momentos juntos, durante a primeira nevasca da temporada, eles constroem uma criança feita de neve. Na manhã seguinte, a criança de neve some. Dias depois, eles avistam uma criança loira correndo por entre as árvores. Uma menina que parece não ser de verdade, acompanhada de uma raposa vermelha e que, de alguma formam consegue sobreviver sozinha no frio e rigoroso inverno do Alasca. Enquanto Jack e Mabel se esforçam para entender esta criança que parece saída das páginas de um conto de fadas, eles começam a amá-la como se fosse sua própria filha. No entanto, nesse lugar bonito e sombrio, as coisas raramente são como aparentam, e o que eles aprenderão sobre essa misteriosa menina irá transformar a vida de todos.

RESENHA por Katielle Borba.

Oi gente, tudo bom?

A resenha de hoje é de um dos últimos lançamentos da Editora Novo Conceito. O livro é Menina da Neve da autora Eowyn Ivey. Este livro aqui foi finalista do prêmio Pulitzer e a autora mora no Alasca, juntamente com seu marido e duas filhas.

Quando foi anunciado este lançamento, fiquei bastante interessada, afinal pode se dizer que é histórico, pois se passa nos anos 20 e é ambientado no Alasca. Achei que seria mais história que eu ficaria satisfeita em ler, porém a história é tão mágica, dramática e linda que fiquei com o coração um pouco partido no final.

Jack e Mabel moram numa cabana no Alasca, a vida ali não é fácil e o relacionamento deles também não; os dois não são mais jovens e conforme os anos passam eles ficam cada vez mais afastados um do outro. A vida no Alasca é monótona, pois eles não têm vizinhos perto e Mabel não tem amizade com ninguém, seu único companheiro é Jack. Eles não têm filhos e isso foi um dos motivos que fizeram eles se mudarem para esse fim de mundo. A vida dos dois passa sem grandes acontecimentos até que certo dia Jack avista uma menina em meio às árvores.

Na noite anterior a esse acontecimento, Jack e Mabel haviam feito um boneco na neve; eles o decoraram com cachecol e luvas. Quando Jack avistou a menina ela estava usando essas mesmas peças e isso o deixou bastante intrigado, até porque assim como ele a viu, ela sumiu. Mabel também viu a menina, mas foram só pequenos relances. Agora, eles passam os dias tentando encontrá-la ou até mesmo acreditar que ela não é fruto da imaginação.

É muito difícil falar sobre este livro, já refleti bastante, mas palavras me faltam para descrevê-lo e dizer o quanto ele é tocante. É uma história de recomeços, mistérios e de uma tristeza que acompanha os personagens no início da narrativa. Nos primeiros capítulos pensei em Jack e Mabel como um peso morto em cima da terra, pessoas que não tinham uma razão para estarem ali, simplesmente eles viviam seus dias, sem emoção e sem vida. Quando a menina surge, parece que eles recebem um sopro de vida, mas sabe quando nada é o que parece? Ficamos ávidos para saber o que vai acontecer, saber como a história se desenrolará. 

O livro é bem escrito e a narrativa é em terceira pessoa. Muitas vezes a leitura ficou arrastada, mas em outras era bastante ágil. A autora soube bem como me prender na história e me deixou cheia de dúvidas, juntamente com os personagens.

O trabalho da Editora Novo Conceito está lindo, este livro é impecável. A capa é maravilhosa e a diagramação das páginas dão um charme a obra.

Enfim, recomendo a leitura. Não é o meu tipo favorito de livro, mas estou feliz em ter lido essa história.

Era fantástico e impossível, mas Mabel sabia que era real — ela e Jack a tinham feito com neve e galhos e capim congelado. A verdade a impressionou. A criança não apenas era um milagre, como também era criação deles. E ninguém cria vida e a abandona.
Achei que tinha visto algo - disse Jack. - Mas eram apenas meus olhos cansados me enganando.

Leitura recomendada.

Outras capas:

   


Postagem válida para o Top Comentarista novembro.


21 de novembro de 2015

Promoção Especial #04

Oi pessoal, tudo bom?
Chegou o quarto sorteio especial de final de ano. Os livros desta semana são da Editora Valentina.



O vencedor (a) levará para casa:

  • Ah, o Verão!;
  • Filha da Ilusão.


Como participar:
Preencher o formulário Rafflecopter.

Regras:
1. Ser residente no Brasil.
2. Curtir a página do blog no Facebook.
3. O participante deverá compartilhar a imagem da promoção publicamente e deixar o link no formulário.
4. O ganhador terá dois dias para enviar os dados para envio dos prêmios.
5. Os prêmios serão enviados em até 45 dias.
6. O blog Leitura Maravilhosa não se responsabiliza por um segundo frete caso os livros retornem.
07. Promoção válida até 27/11.

* Diariamente o formulário abrirá um campo para o link de compartilhamento ser inserido, portanto, a imagem pode ser compartilhada todos os dias até o final da promoção.
* Qualquer dúvida entrar em contato através do e-mail: katielle.borba@gmail.com

a Rafflecopter giveaway

20 de novembro de 2015

A Dama da Meia-Noite - Tessa Dare

Livro: A Dama da Meia-Noite (A Lady By Midnight)
Spindle Cove #03
Autor (a): Tessa Dare
Número de Páginas: 288
Editora: Gutenberg
Compre aqui.

Sinopse: Pode um amor avassalador apagar as marcas de um passado sombrio?
Após anos lutando por sua vida, a doce professora de piano, Srta. Kate Taylor, encontrou um lar e amizades eternas em Spindle Cove. Mas seu coração nunca parou de buscar desesperadamente a verdade sobre o seu passado. Em seu rosto, uma mancha cor-de-vinho é a única marca que ela possui de seu nascimento. Não há documentos, pistas, e nem ao menos lembranças…
Depois de uma visita desanimadora para sua ex-professora, que se recusa a dizer qualquer coisa para Kate, ela conta apenas com a bondade de um morador de Spindle Cove, o misterioso, frio e brutalmente lindo, Cabo Thorne, para voltar para casa em segurança. Embora Kate inicialmente sinta-se intimidada por sua escolta, uma atração mútua faísca entre os dois durante a viagem. Ao chegar de volta à pensão onde mora, Kate fica surpresa ao encontrar um grupo de aristocratas que afirma ser sua família.
Extremamente desconfiado, Thorne propõe um noivado fictício à Kate, permitindo-lhe ficar ao seu lado para protegê-la e descobrir as reais intenções daquela família. Mas o noivado falso traz à tona sentimentos genuínos, assim como respostas às perguntas de Kate.
Acostumado com combates e campos de batalhas, Thorne se vê na pior guerra que poderia imaginar. Ele guarda um segredo sobre Kate e fará de tudo para protegê-la de qualquer mal que se atreva atravessar seu caminho, seja uma suposta família oportunista… ou até ele mesmo.

RESENHA por Katielle Borba.

Oi pessoal, tudo bom?

A resenha hoje é de um livro que estou apaixonada <3. A Dama da Meia-noite é o terceiro livro da Série Spindle Cove, escrito por Tessa Dare e publicado pela Editora Gutenberg.

A Dama da Meia-Noite traz uma história muito aguardada, do Cabo Thorne e da Kate. Desde o primeiro livro da série os dois se evitam, mas quando se encontram trocam muitas farpas, claro que por trás disso tem muito mais e agora descobrimos nesta terceira publicação.

Thorne é um homem reservado, não gosta muito de falar, mas sim de agir. Ele lutou na guerra e já passou por muitas coisas na vida. Faz um ano que ele e seus amigos chegaram a Spindle Cove, então, faz um ano que ele tenta ficar afastado de Kate e isso é quase uma tortura.

Kate é uma mulher sozinha, não lembra quase nada de como foi sua vida até aos quatro anos, só lembra que a partir dessa idade ela cresceu num orfanato. Kate não tem família, mas está em busca de informações sobre sua origem. Em Spindle Cove ela dá aula de música para as moças que chegam à cidade. Kate acha que não é bonita, até pensa que nunca irá encontrar o amor, isso porque ela tem uma mancha de nascença no rosto, só que essa mancha será uma das coisas que farão com que sua vida mude. De uma hora para outra, quatro pessoas aparecem na cidade dizendo que Kate faz parte da família deles e é aí que as coisas começam a ficar boas. Thorne desconfia dessas pessoas que afirmam ser a família de Kate e ele fará de tudo para protegê-la, até mesmo propor casamento.

Será que eu posso dizer que estou em êxtase? Tenho medo de não ter outra palavra para definir o próximo livro da série. Já estou ficando mal acostumada com as histórias da Tessa Dare, pois sei que sempre posso esperar uma grande aventura, um grande amor e as situações mais cômicas possíveis. Neste livro aqui temos picada de víbora, ataque com melão, briga de espadas e muitas outras coisas, posso garantir que os livros dessa série são tudo, menos entediantes.

Thorne e Kate são como água vinho, escuridão e luz. Ela é aquele tipo de pessoa que ilumina um ambiente simplesmente pela sua presença, sempre tem uma palavra de consolo para quem precisa e um sorriso no rosto para alegrar a vida de qualquer um; na música ela encontra conforto e forças para seguir em frente, mesmo que por dentro seja devastada por falta de informações da sua origem. 

Penso em Thorne como um ogro, ele não é lord, não tem modos requintados, mas é um homem com um coração imenso; passou por muitas situações na vida, algumas delas estão gravadas na sua pele e por se sentir inferior acha que não merece o amor da doce Kate. 

Os dois são incríveis juntos, sabe quando um casal é tão diferente e que mesmo assim se encaixa perfeitamente? Assim são os dois. O amor deles não será nada fácil, pois o passado deles está permeado de segredos e Thorne terá que abrir os olhos. Kate não quer saber de modos refinados e de um homem que saiba dançar, ela quer aquele homem bruto, sofrido e de olhos de um azul tão profundo que podem enxergar sua alma. (esses livros me deixam poética kkkkk).

Claro que a história não gira só em torno dos dois, pois temos muitos personagens em Spindle Cove, alguns são pessoas novas e outros conhecemos de longa data. A autora também nos deixa matar a saudade dos protagonistas dos livros anteriores, coisa que amei.

A narrativa de A Dama da Meia-Noite é em terceira pessoa e alterna entre os dois protagonistas. Como nos livros anteriores a leitura é fluída, ágil e cômica. É impossível não dar gargalhadas com as situações que acontecem e de também se emocionar com tanto amor e carinho que existem nestas páginas.

Enfim, é óbvio que recomendo a leitura. Se você ainda não iniciou essa série está perdendo o seu tempo. Esses livros aqui são daqueles que a gente se arrepende de não ter lido assim que foi lançado.

Leitura recomendada.

“Então admita. Você me evita.”
“Muito bem.” Ele parou de andar. “Eu evito você.”
“Agora me diga por quê.”
(...)
“Pare de me provocar. Você não vai gostar da resposta.”
“Eu quero ouvi-la mesmo assim.”
Ele enfiou a mão no cabelo dela, pegando-a de surpresa. Dedos fortes se fecharam ao redor da nuca de Kate. Os olhos dele vasculharam o rosto dela, e cada nervo ficou tenso no corpo de Kate. O pôr do sol jogou um último lampejo de luz alaranjada entre eles, incendiando o momento.
“É isto.”
Pelo braço, ele a puxou para um beijo. E ele a beijou do mesmo modo que fazia tudo. Intensamente, com uma força silenciosa. Seus lábios pressionaram firmemente os dela, exigindo uma resposta.
“Essa é uma carranca muito ameaçadora”, ela provocou. “Você pratica essa careta no espelho? Aposto que sim. Aposto que você fica encarando até ele quebrar.”
“É claro que está interferindo. Você interfere com a minha respiração, seu homem provocador. Não posso simplesmente ignorar você, Thorne. Nunca fui capaz de ignorá-lo, nem mesmo quando não gostava de você Agora sou um boneco cujas cordas você controla, que balança toda vez que você se mexe ou fala. Um minuto você não está me dando a mínima atenção, e no outro... você fica me encarando como esta fazendo agora. Como se fosse um animal faminto, voraz, e eu...”
Ele apertou o maxilar.
Kate engoliu em seco e concluiu sussurrando.
“E eu fosse o seu maior desejo.”

Série Spindle Cove:
1,5. Once Upon a Winter's Eve;
03.  A Dama da Meia-Noite;
3,5. Beauty and the Blacksmith;
04.  Any Duchess Will Do;
4,5. Lord Dashwood Missed Out;
05. Do you Want to Start a Scandal.

Outras capas:

  

 Postagem válida para o Top Comentarista novembro.



19 de novembro de 2015

Encontrando-me - Cora Carmack

Skoob
Livro: Encontrando-me (Finding It)
Losing It #03
Autor (a): Cora Carmack
Número de Páginas: 290
Editora: Novo Conceito
Compre aqui.

Sinopse: A maioria das garotas mataria para passar meses viajando pela Europa após a formatura da faculdade, sem responsabilidade, sem os pais e sem limite nos cartões de crédito. Kelsey Summers não é exceção. Ela está tendo o momento de sua vida... ou isso é o que ela continua dizendo a si mesma.
É um negócio solitário, pois está tentando descobrir quem ela é, especialmente porque está com medo de não gostar do que pode encontrar. Nenhuma quantidade de bebida ou dança pode afugentar a solidão de Kelsey, mas talvez Jackson Hunt possa. Depois de alguns encontros casuais, ele a convence a fazer uma viagem de aventura ao invés de ficar bebendo. A cada nova cidade e experiencia, a mente de Kelsey se torna um pouco mais clara, e seu coração menos. Hunt ajuda a desvendar seus próprios sonhos e desejos, mas quanto mais ela conhece sobre si mesma, mais percebe o quão pouco ela sabe sobre ele.

RESENHA por Katielle Borba.

Oi gente, tudo bom?

A resenha de hoje é do terceiro e último volume da Trilogia Losing It. Encontrando-me é de Cora Carmack e publicação da Editora Novo Conceito. Antes de tudo, quero falar da satisfação de encerrar um série/trilogia, às vezes penso que está cada vez mais difícil disso acontecer, mas quando acontece minha alegria é imensa.

Encontrando-me traz a história de Kelsey Summers; ela está realizando o sonho de muita gente, mas mesmo assim não está feliz. Kelsey está viajando pela Europa, conhecendo pessoas novas, dormindo em albergues e passando noites regadas a festas, bebidas e sexo. Numa dessas noites, que ela não consegue nem ficar em pé, conhece um cara misterioso. Essa pessoa é Hunt; não sabemos nada sobre ele, pois é um enigma, porém de uma hora para outra Kelsey está viajando na companhia dele.

Sabe quando um livro te conquista logo nos dois primeiros parágrafos?

Todo mundo merece uma aventura grandiosa na vida, aquele momento ao qual sempre voltamos e dizemos: “Naquela época... ah, naquela época eu realmente vivia.”
Aventuras não acontecem se você estiver preocupado com o futuro ou apegado ao passado. Elas só existem no presente. E elas sempre, sempre, surgem na hora mais inesperada e da forma mais improvável. Uma aventura é uma janela aberta, e um aventureiro é a pessoa disposta a rastejar pelo peitoril e saltar.

Depois de ler isso, fiquei completamente encantada e me joguei na leitura. A história é narrada em primeira pessoa por Kelsey. Senti muito a falta da narração de Hunt, pois ele é cheio de segredos, mas também penso que se ele tivesse narrativa, o final seria diferente... Sei, sou confusa!

Amei Kelsey e queria ser ela, mas conforme as páginas passavam percebi que ela é uma pessoa vazia e que está fugindo de todos e de si mesma, mentido, mostrando ser alguém que realmente não é. Kelsey é daquelas que em determinado momento pode estar rodeada de “amigos”, mas mesmo assim se sente sozinha. Quando Hunt aparece, ela começa a sentir coisas que nunca sentiu por ninguém, ele desperta sentimentos que ela não está preparada para analisar, mas mesmo assim embarca numa grande aventura.

Hunt é um amor de pessoa, tem um passado nebuloso e é cheio de segredos. Segredos que eu estava desesperada para descobrir, pois ele recebia ligações estranhas e sempre dizia que Kelsey não deveria se preocupar com isso.

Juntos eles conhecem lugares lindos e eu me senti companheira nesta viagem. As descrições da autora foram tão boas que eu me sentia em todos aqueles lugares históricos ou nadando em uma bela praia. Não pensem que tudo são flores entre eles, pois apesar de Hunt sentir-se muito atraído por Kelsey não quer ceder a esse desejo. Ela, por outro lado, irá investir nesse cara que é capaz de fazer com que repense toda sua vida e suas escolhas.

Enfim, gostei bastante do livro e fico feliz por ter terminado essa trilogia. Ela não está entre minhas favoritas, mas de um modo geral adorei os três livros.

Leitura recomendada.

- Você não tem o que temer. Não vou... Não faria nada. Vou ajudá-la a se deitar e depois vou embora e pegarei outro quarto.
Ele achava que eu não confiava nele... Que podia fazer alguma coisa.
- Não isso. Não acho isso.
- Então por que eu a assusto?
- Porque não quero que você veja.
(...)
- Ver o quê?
- Eu.
- Eu a odiava porque você me fazia encarar meu passado. Mas quando fiz isso... Depois que reconheci isso, comecei a notar que você era diferente de mim. O que disse na Alemanha era sério, Kelsey. Você arde em chamas vivas e belas. Você ilumina o ambiente ao entrar nele. Vi as pessoas sendo atraídas por você cidade após cidade, bar após bar. Você só... Mesmo estando triste, você tem mais energia da unha do dedinho do pé do que eu no meu corpo inteiro. E, quando deixei de odiá-la, comecei a desejá-la. Mas eu não tinha a menor chance. Tentei permanecer afastado, mas... Não consegui.

Losing It:
01. Perdendo-me;
03. Encontrando-me.

Outras capas:

   

Postagem válida para o Top Comentarista novembro.


17 de novembro de 2015

A Dama de Papel - Catarina Muniz

Livro: A Dama de Papel 
Autor (a): Catarina Muniz
Número de Páginas: 256
Editora: Universo dos Livros
Compre aqui.

Sinopse: Localizado na zona periférica de Londres em meados do século XIX, o bordel de Molly está sempre repleto de fregueses: ricos e pobres, magnatas e operários. O que nenhum deles sabe - nem mesmo as outras trabalhadoras do estabelecimento - é que a dona do prostíbulo optara por ser "mulher da vida fácil" após fugir de um casamento forçado, abrigando-se nas entranhas de um cortiço na busca indelével por liberdade.
Certa vez, no entanto, Molly é inebriada pelas propostas de um cliente: Charles O'Connor, o herdeiro de um império têxtil, deseja que ela seja somente sua. Molly, arrebatada pelas sensações provocadas pelo novo amante, se vê obrigada a questionar o modo de vida que conduzira com orgulho até então, além de testar os limites da liberdade obtida a duras penas.
Entregues à avassaladora paixão e à incrível química sexual que os unem, Molly e Charles precisarão enfrentar as represálias que os unem, Molly e Charles precisarão enfrentar as represálias sociais e a moral conservadora da época para dar continuidade a este amor proibido. Mas terão de pagar um preço alto por suas decisões.

RESENHA por Luciana Corrêa da Silva.

Oi pessoal, tudo bem?

A resenha de hoje é de um livro em pré-lançamento. É A Dama de Papel, escrito pela Catarina Muniz e publicado pela Universo dos Livros. Catarina é uma alagoana, formada em Comunicação Social (Relações Públicas). Ela se declara uma pessoa expansiva, intensa e bem humorada, que escreve apaixonadamente desde a adolescência.

Melinda Scott Williams não é mais a mesma, na verdade ela acha que nunca foi a moça que a família esperava. Ela não segue as convenções sociais, gosta de rir alto e joga longe os modos requintados, mas a gota que faltava para que seu copo transbordasse foi o casamento que seu pai lhe arranjou.

Os Williams são uma família de classe média e seu pai vê no casamento arranjado com um homem de posses, uma grande possibilidade de melhora. Então, ela faz sua trouxa e sai de casa, pois não há nenhuma possibilidade dela querer um homem como aquele, ele é horrível e asqueroso. Melinda acaba em um bordel, como a preferida da dona e... Melinda vira Molly. Assim que sua protetora morre, ela assume o lugar e torna-se uma encantadora de homens, a preferida entre os ricos e os pobres.

Melinda, agora Molly, nunca foi uma mulher muito bela, nem muito refinada, mas sempre foi mais curvilínea e sem frescuras, o que fará com que os homens de Londres disputem seus serviços. Com a atenção que ela recebe, vem também a liberdade. Claro, liberdade essa muito restrita, afinal estamos no século XIX e as coisas não são assim tão fáceis, mas Molly foge de toda repressão e faz sua personalidade se sobrepor.

As coisas começam a mudar na vida dela quando Charles O' Connor, um rico empresário, resolve ir até sua casa, conhecer a “famosa” moça de quem todos falam. Lá ele encontra uma mulher linda, de negros cabelos soltos e possuidora de uma liberdade impactante, de um despudor inacreditável. Charles é herdeiro de um império têxtil, casado, pai de gêmeos e ele coloca tudo em perigo depois que conhece Molly. Suas vidas não serão mais as mesmas.

Eu estranhei um pouco as atitudes da mocinha. Ela escolhe essa vida, ela quer viver a dureza da prostituição, vê no sexo um tipo de liberdade que fica difícil de entender toda vez que ela reclama da brutalidade, dos maus cheiros, do cansaço...

… Por que era tão diferente das mulheres que tanto amava? Por que não se importava com o fato de ver nus os corpos mais execráveis, de sentir o terrível hálito do álcool e dos dentes podres tão próximos ao seu rosto? Será que valia mesmo a pena tudo o que escolhera, suas decisões e atitudes? E por que, Santo Cristo, não se preocupou com o que os pais e as irmãs sentiriam ao notar sua ausência? Sentia saudades delas, sempre sentira. Mas não conseguia, por mais que se questionassem sentir saudades da vida junto a elas.

Sem dúvida, a ambientação é um ponto positivo do livro. O contexto histórico foi muito bem abordado e descrito e, mesmo que eu não tenha me apaixonado pelos personagens, acredito que o livro seja muito bom em razão disso. A autora escreve de forma fluída e bem característica, possibilitando um livro único, que nos demonstra grande conhecimento do que está fazendo. A descrição do período vitoriano é muito boa.

É sim um romance histórico, mas não tão erótico assim, como nos dá a entender; acredito que ele chega a beirar o drama, em razão de acompanharmos de perto as agruras de uma vida sofrida, levada com pobreza e prostituição. A autora fez do desfecho do livro uma grande surpresa, saindo totalmente do esperado, deixando-nos de queixo caído.

Foi uma grande surpresa deparar-me com um texto que me fez refletir e repensar conceitos morais, perceber necessidades e constatar coisas que você somente terá ideia se der uma chance a essa leitura. A luta de Molly por sua independência é tanta que chega a ser irritante, mas por outro lado ela tem a fibra que muitas mulheres jamais terão. Já Charles é forte, poderoso, mas cede em qualquer coisa com o que diz respeito à sua amada. Ele se perde nos encantos, na entrega, que surge através de atitudes e lindas cartas de amor e que narram a entrega sensual dos dois.

… 'Não posso me apaixonar…', é o que todos dizem quando a paixão já corre solta e virulenta por cada fresta, por cada célula. Quando o veneno já eflui de todos os poros...

Enfim, recomendo o livro para quem gosta de histórias de amor, mesmo sofridas, que tenha como enfoque vários personagens interessantes e um tempo passado.

Até a próxima!

Postagem válida para o Top Comentarista novembro.


16 de novembro de 2015

A Primeira Chance - Abbi Glines

Livro: A Primeira Chance (Take a Chance)
Resemary Beach #7
Autor (a): Abbi Glines
Número de Páginas: 224
Editora: Arqueiro
Compre aqui.


Sinopse: Quando o pai roqueiro de Harlow Manning sai em turnê, ele a envia para Rosemary Beach, na Flórida, para viver com sua meia-irmã Nan. O problema: Nan a odeia. Harlow tem que manter a cabeça para baixo, se ela quer passar os próximos nove meses em paz. Isso parecia ser fácil... Até que o lindo Grant Carter sai do quarto de Nan.
Grant cometeu um grande erro em se envolver com uma garota com veneno nas veias. Ele sabia sobre a reputação de Nan, mas ainda sim não conseguiu resistir a ela. Nada faz ele se arrepender da aventura mais do que seu encontro com Harlow, que o deixa com o pulso acelerado. No entanto, Harlow não quer ter nada a ver com um cara que poderia se apaixonar por sua meia-irmã malvada. Mesmo não existindo amarras entre Grant e Nan.
Grant está desesperado para se redimir aos olhos de Harlow, mas ele arruinou suas chances com ela antes mesmo de conhecê-la...

RESENHA por Katielle Borba.

Oi pessoal, tudo bom?

A resenha de hoje é do livro A Primeira Chance, sétimo volume da Série Rosemary Beach. O livro é publicação da Editora Arqueiro e escrito por Abbi Glines.

Já estamos no sétimo livro e cada vez mais e difícil falar dessa série, afinal todas as histórias se entrelaçam e é complicado contar alguma coisa sem soltar spoiler, mas juro que irei tentar. A Luciana leu este livro antes de mim e para minha surpresa ela deu apenas três estrelas no Skoob; juro que fiquei um pouco chocada, afinal sempre amamos os livro da Abbi. Perguntei o que aconteceu e como ela é muito amor simplesmente me disse que queria ter rasgado todas as páginas quando terminou... Claro que ela nunca faria isso! Curiosa, comecei a ler e olha quase concordo com ela, fico me perguntando por que as autoras fazem isso conosco, nos enchem de amor e esperança durante todo livro, daí no final elas esmagam nosso coração.

Para quem ainda não iniciou essa série, este livro aqui conta a história da Harlow e do Grant. Os dois se conheceram no livro anterior e logo se sentiram atraídos um pelo outro, mas eles têm muitos problemas para resolverem antes de ficarem juntos. O Grant é meio-irmão do Rush, personagem dos quatro primeiros livros da série; os dois são melhores amigos e em comum tem a Nan, a irmã megera de Rush, aquela que inferniza a vida de todos os personagens da série. Grant teve um caso com ela, mas era somente sexo, no início ele até acreditava que tinha algum sentimento, mas Nan é uma pessoa tão ruim que até isso ela conseguiu destruir.

Harlow é filha de Kiro, um dos integrantes da banda Slaker Damon, que o pai de Rush também faz parte. Harlow é uma moça inocente, em todos os sentidos. Ela é recatada, gosta de ler e de se manter isolada de todos; sempre acha que as pessoas se aproximam dela porque seu pai é famoso e é difícil ter um relacionamento com alguém, mesmo que seja só amizade. Quando conhece Grant, fica muito encantada; ele, com muito charme, dará um jeito de se aproximar dela, mas como nem tudo são flores os dois terão muitos conflitos para lidar e principalmente terão de ser fortes para aguentar a perversidade de Nan.

Acho que já disse aqui o quanto eu amo essa série, sei que tem muita gente que não gosta, acham que os mocinhos são controladores e tudo mais, mas mesmo assim eu amo. É difícil falar de A Primeira Chance sem citar fatos dos livros anteriores, todos os personagens são ligados e a cada livro que passa fico impressionada em como a autora consegue me prender com essa trama maravilhosa. Abbi insere novos personagens e não deixa nenhum dos antigos de fora. E ótimo ver como Rush e Blair estão felizes e como Woods e Della conseguiram seguir em frente; eles têm muitos problemas e digo isso de todos os personagens, mas sempre apoiam um ao outro e seguem em frente, como uma grande família.

Meu ódio mortal é ainda pela Nan. Gente, até hoje não tive o (des)prazer de ler sobre uma personagem tão odiosa como ela. Coisas ruins acontecem com ela e fico me sentindo culpada por estar feliz em ver ela sofrer. Parece que quanto mais ela sofre, pior ela fica e é difícil tentar imaginar o porquê a autora escreveu um livro somente para ela... kkkkkk

A narrativa de A Primeira Chance é em primeira pessoa e os capítulos são alternados entre Grant e Harlow. Dei quatro estrelas, pois em alguns momentos fiquei muito frustrada com o mimimi da Harlow; ela não confia em ninguém, é insegura e um pouco ciumenta. Entendo o lado dela, afinal Grant já teve um “relacionamento” com a Nan e ela adora esfregar isso na cara de Harlow, mas em muitas vezes ela foi chata demais.

Não tenho certeza, mas parece que o próximo livro será publicado em janeiro (ainda bem) e nem preciso dizer que já queria tê-lo em mãos, pois como o sempre o final foi de deixar qualquer um arrasado. Eu já esperava por isso, mas sempre vale muito a pena.

-Existem três tipos de mulher nesse mundo. Aquelas que sugam você até a última gota e o deixam sem nada. Aquelas que só querem se divertir. E aquelas que fazem a vida valer a pena. Esse último tipo... A mulher certa é aquela que dá na mesma medida que recebe, e você nunca se cansa de estar com ela. Ela é do tipo que... se você perdê-la, acaba se perdendo.

Leitura recomendada.

Série Rosemary Beach:
7. A Primeira Chance; (Grant)
8. Mais Uma Chance; (Grant)
9. You Were Mine; (Bethy)
10. Kiro’s Emily;
11. When I’m Gone; (Mase)
12. When You’re Back. (Mase)

Outras capas:

  

Postagem válida para o Top Comentarista novembro.


13 de novembro de 2015

Promoção Especial #03

Oi gente, 
Entra no ar a terceira promoção especial. :D
Os livros sorteados são da Editora Novo Conceito, Tocando as Estrelas e As Sete Irmãs (autografado).



O vencedor (a) levará para casa:

  • Tocando as Estrelas;
  • As Sete Irmãs (autografado);

Como participar:
Preencher o formulário Rafflecopter.

Regras:
1. Ser residente no Brasil.
2. Curtir a página do blog no Facebook.
3. O participante deverá compartilhar a imagem da promoção publicamente e deixar o link no formulário.
4. O ganhador terá dois dias para enviar os dados para envio dos prêmios.
5. Os prêmios serão enviados em até 45 dias.
6. O blog Leitura Maravilhosa não se responsabiliza por um segundo frete caso os livros retornem.
07. Promoção válida até 20/11.

* Diariamente o formulário abrirá um campo para o link de compartilhamento ser inserido, portanto, a imagem pode ser compartilhada todos os dias até o final da promoção.
* Qualquer dúvida entrar em contato através do e-mail: katielle.borba@gmail.com

a Rafflecopter giveaway

12 de novembro de 2015

Uma Chance Para Recomeçar - Lisa Kleypas

Livro: Uma Chance Para Recomeçar
Friday Harbor # 01
Autor (a): Lisa Kleypas
Número de Páginas: 176
Editora: Novo Conceito
Compre aqui.

Sinopse: Victoria morreu em um trágico acidente, deixando sua filha Holly sob a responsabilidade do seu irmão, o solteiro convicto Mark. O tio Mark não se sentia muito preparado para cuidar da menina, mas assumiu o compromisso de devolver o sorriso aos seus lábios. No entanto, ele desconfia de que não esteja fazendo um bom trabalho, uma vez que Holly nunca mais falou desde que ficou órfã. Uma cartinha para o Papai Noel revela um desejo que pode ser a chave da felicidade de Holly: ela só quer ter uma mãe.
Maggie perdeu o marido em uma batalha contra o câncer e não quer jamais - passar por tudo isso de novo. Por isso, ela fechou seu coração e prometeu a si mesma dedicar-se somente a sua nova loja de brinquedos em Friday Harbor, que permite às crianças viajar um pouco nas asas da imaginação. A amizade entre Maggie e Holly (que até passou a acreditar em fadas!) ao mesmo tempo comove e preocupa o tio Mark. Ele tem certeza de que a nova amiga fará bem a sua sobrinha, mas precisa decidir se a deixará entrar em sua própria vida...
Nós também torcemos, do fundo do coração, para que Holly tenha uma linda noite de Natal.

RESENHA por Luciana Corrêa da Silva.

Oi gente!

Hoje trago a resenha de um livro que há tempos eu queria ler. Desde que eu li a série Os Hathaways, virei fã da escritora Lisa Kleypas e decidi que lerei tudo o que for publicado dela aqui no Brasil. Este livro é o primeiro da série Friday Harbor e é uma publicação da Editora Novo Conceito.

Holly é uma menina que acaba de ficar órfã. Sua mãe Victoria morreu em um trágico acidente e, por não ter deixado nenhum testamento, sua filhinha Holly não tem ninguém. Uma carta foi achada, pedindo que seu irmão Mark cuidasse da menina caso ela faltasse. O problema é que Mark é um solteirão convicto e não quer saber de ter uma família tão cedo.

Mark não tinha qualquer dúvida de que ele não possuía aqueles instintos. Foi por isso que recebeu um choque após o outro ao descobrir que não apenas havia perdido a irmã, mas também acabava de ganhar uma filha.

Mark é uma pessoa centrada e o senso de zelo não deixou que ele abandonasse a sobrinha. Embora não se sentisse nada preparado para cuidar de uma criança, ele resolveu assumir o compromisso e intimou seu irmão Sam a ajudar. O que de início era uma tarefa nada agradável tornou-se um prazer e juntos Holly e os tios dividirão uma casa, na vinícola que Sam possui.

Acontece que a menina, que era como um raio de sol, alegre e falante, passou a uma menina triste, pelos cantos e que nunca mais pronunciou uma palavra. Isso leva Mark a acreditar que não está cumprindo sua tarefa como deveria, isso traz inquietação e um sentimento de perda.

A presença de Holly na vida dele oferecia um tipo de graça que nenhum dos dois havia conhecido até então. Um lembrete de inocência. Algo acontecia com eles, descobriram, quando ganhavam o amor e a confiança incondicionais de uma criança. Eles queriam merecê-los.

O Natal se aproxima e Holly pede ao bom velhinho uma única coisa, que será aquilo que poderá lhe devolver a felicidade: ela só quer ter uma mãe. Alguém que cuide dela, que lhe dê carinho, ainda mais do que seus tios já lhe dão.

Um belo dia, Holly e Mark resolvem conhecer a nova loja de brinquedos da ilha onde moram e lá encontram Maggie, uma mulher muito querida. Ela é uma jovem mulher, que perdeu o marido em uma batalha contra o câncer. Ela não é sofrida, nem ressentida, mas não acredita que possa amar novamente. Maggie acredita que não terá forças para passar por um romance novamente e tudo o que ela quer agora é dedicar-se à sua loja, que é o que ela mais gosta de fazer e que virou um sucesso em Friday Harbor.

Assim que Maggie e Holly se encontram, uma faísca de amor se instala entre as duas e a amizade é praticamente instantânea. A menina passa a ter esperanças no futuro e novamente acredita em sua imaginação (até passou a acreditar em fadas!) e isso ao mesmo tempo alegra e comove seu tio Mark. Ele tem certeza de que a nova amizade fará muito bem a sua sobrinha, mas precisa decidir se manterá Maggie fora de sua vida também. A atração entre eles, baseada no amor e no carinho das duas, fará brotar um sentimento muito maior.

O livro deveria ter uma tarja vermelha na capa, alertando o excesso de fofura. Que livrinho mais queridinho! Adorei cada parágrafo e torci para que Holly conseguisse seu tão esperado presente de Natal. Imaginem se não seria boa, uma história que tivesse uma linda e sofrida mocinha, um homem maravilhoso e de bom caráter, unido a irmãos fantásticos, uma casa em reforma e um cachorro estropiado? Só poderia dar boa coisa, né?

Eu só vejo um ponto negativo, que é o pequeno número de páginas, por mim esse livro poderia ter umas 500 páginas e ainda seria pouco, hehehe.

Leiam, divirtam-se e apaixonem-se por essa bela história de amor.

Até a próxima!

Friday Harbor:
01. Uma Chance Para Recomeçar;
02. Rainshadow Road;
03. Dream Lake;
04. Crystal Cove;
05. Lightning Bay.


Outras capas:

  

 Postagem válida para o Top Comentarista novembro.