17 de novembro de 2015

A Dama de Papel - Catarina Muniz

Livro: A Dama de Papel 
Autor (a): Catarina Muniz
Número de Páginas: 256
Editora: Universo dos Livros
Compre aqui.

Sinopse: Localizado na zona periférica de Londres em meados do século XIX, o bordel de Molly está sempre repleto de fregueses: ricos e pobres, magnatas e operários. O que nenhum deles sabe - nem mesmo as outras trabalhadoras do estabelecimento - é que a dona do prostíbulo optara por ser "mulher da vida fácil" após fugir de um casamento forçado, abrigando-se nas entranhas de um cortiço na busca indelével por liberdade.
Certa vez, no entanto, Molly é inebriada pelas propostas de um cliente: Charles O'Connor, o herdeiro de um império têxtil, deseja que ela seja somente sua. Molly, arrebatada pelas sensações provocadas pelo novo amante, se vê obrigada a questionar o modo de vida que conduzira com orgulho até então, além de testar os limites da liberdade obtida a duras penas.
Entregues à avassaladora paixão e à incrível química sexual que os unem, Molly e Charles precisarão enfrentar as represálias que os unem, Molly e Charles precisarão enfrentar as represálias sociais e a moral conservadora da época para dar continuidade a este amor proibido. Mas terão de pagar um preço alto por suas decisões.

RESENHA por Luciana Corrêa da Silva.

Oi pessoal, tudo bem?

A resenha de hoje é de um livro em pré-lançamento. É A Dama de Papel, escrito pela Catarina Muniz e publicado pela Universo dos Livros. Catarina é uma alagoana, formada em Comunicação Social (Relações Públicas). Ela se declara uma pessoa expansiva, intensa e bem humorada, que escreve apaixonadamente desde a adolescência.

Melinda Scott Williams não é mais a mesma, na verdade ela acha que nunca foi a moça que a família esperava. Ela não segue as convenções sociais, gosta de rir alto e joga longe os modos requintados, mas a gota que faltava para que seu copo transbordasse foi o casamento que seu pai lhe arranjou.

Os Williams são uma família de classe média e seu pai vê no casamento arranjado com um homem de posses, uma grande possibilidade de melhora. Então, ela faz sua trouxa e sai de casa, pois não há nenhuma possibilidade dela querer um homem como aquele, ele é horrível e asqueroso. Melinda acaba em um bordel, como a preferida da dona e... Melinda vira Molly. Assim que sua protetora morre, ela assume o lugar e torna-se uma encantadora de homens, a preferida entre os ricos e os pobres.

Melinda, agora Molly, nunca foi uma mulher muito bela, nem muito refinada, mas sempre foi mais curvilínea e sem frescuras, o que fará com que os homens de Londres disputem seus serviços. Com a atenção que ela recebe, vem também a liberdade. Claro, liberdade essa muito restrita, afinal estamos no século XIX e as coisas não são assim tão fáceis, mas Molly foge de toda repressão e faz sua personalidade se sobrepor.

As coisas começam a mudar na vida dela quando Charles O' Connor, um rico empresário, resolve ir até sua casa, conhecer a “famosa” moça de quem todos falam. Lá ele encontra uma mulher linda, de negros cabelos soltos e possuidora de uma liberdade impactante, de um despudor inacreditável. Charles é herdeiro de um império têxtil, casado, pai de gêmeos e ele coloca tudo em perigo depois que conhece Molly. Suas vidas não serão mais as mesmas.

Eu estranhei um pouco as atitudes da mocinha. Ela escolhe essa vida, ela quer viver a dureza da prostituição, vê no sexo um tipo de liberdade que fica difícil de entender toda vez que ela reclama da brutalidade, dos maus cheiros, do cansaço...

… Por que era tão diferente das mulheres que tanto amava? Por que não se importava com o fato de ver nus os corpos mais execráveis, de sentir o terrível hálito do álcool e dos dentes podres tão próximos ao seu rosto? Será que valia mesmo a pena tudo o que escolhera, suas decisões e atitudes? E por que, Santo Cristo, não se preocupou com o que os pais e as irmãs sentiriam ao notar sua ausência? Sentia saudades delas, sempre sentira. Mas não conseguia, por mais que se questionassem sentir saudades da vida junto a elas.

Sem dúvida, a ambientação é um ponto positivo do livro. O contexto histórico foi muito bem abordado e descrito e, mesmo que eu não tenha me apaixonado pelos personagens, acredito que o livro seja muito bom em razão disso. A autora escreve de forma fluída e bem característica, possibilitando um livro único, que nos demonstra grande conhecimento do que está fazendo. A descrição do período vitoriano é muito boa.

É sim um romance histórico, mas não tão erótico assim, como nos dá a entender; acredito que ele chega a beirar o drama, em razão de acompanharmos de perto as agruras de uma vida sofrida, levada com pobreza e prostituição. A autora fez do desfecho do livro uma grande surpresa, saindo totalmente do esperado, deixando-nos de queixo caído.

Foi uma grande surpresa deparar-me com um texto que me fez refletir e repensar conceitos morais, perceber necessidades e constatar coisas que você somente terá ideia se der uma chance a essa leitura. A luta de Molly por sua independência é tanta que chega a ser irritante, mas por outro lado ela tem a fibra que muitas mulheres jamais terão. Já Charles é forte, poderoso, mas cede em qualquer coisa com o que diz respeito à sua amada. Ele se perde nos encantos, na entrega, que surge através de atitudes e lindas cartas de amor e que narram a entrega sensual dos dois.

… 'Não posso me apaixonar…', é o que todos dizem quando a paixão já corre solta e virulenta por cada fresta, por cada célula. Quando o veneno já eflui de todos os poros...

Enfim, recomendo o livro para quem gosta de histórias de amor, mesmo sofridas, que tenha como enfoque vários personagens interessantes e um tempo passado.

Até a próxima!

Postagem válida para o Top Comentarista novembro.


34 comentários

  1. Sua resenha está muito boa, mas sinceramente lendo um pouco mais sobre a história do livro, percebi que ele não faz muito meu estilo de leituras, e por esse motivo não pretendo lê-lo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Mariele, obrigada por ter lido a resenha, beijo :D

      Excluir
  2. Olá!!
    A história é interessante e dá para prender o leitor, porém esse livro não faz o meu tipo de leitura e então não tive vontade de ler. Livros eróticos não me chamam muito a atenção.
    A capa ficou simples e ao mesmo tempo muito bonita.

    Bjo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Aguida, adorei seu comentário, obrigada por ter lido a resenha, beijo!

      Excluir
  3. Olá, Lu. Bom, nunca pensara que a história de A Dama de Papel fosse assim, um tanto densa. Comecei gostando da personalidade decidida e forte da protagonista por abandonar os requintes e se impor sobre um casamento de obrigação. Entretanto, com a ida da mesma para o bordel e, como você mesmo disse, a aceitação da protagonista em uma vida "cruel" foi bem estranho. Por fim, achei o livro razoável.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Ycaro, fico feliz que vc tenha entendido muito bem o que eu quis dizer na resenha. Obrigada pelo comentário, adorei! <3 abração

      Excluir
  4. Oi Lu. Eu até gosto de livros de época mas não consegui me interessar por esta história, nem sei explicar o motivo kkkk, a sua resenha está ótima, fornece as informações necessárias pra despertar interesse em quem curte este tipo de história, amor com muito sofrimento. :D

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Lili, é um romance de época sim, mas ele é mesmo denso e não muito divertido, que bom que me fiz entender, hehehe... Beijo e obrigada pelo comentário ;D

      Excluir
  5. Já estava bastante interessada em ler esse livro só pela sinopse, curto muito um romance histórico e agora depois de ver essa resenha fiquei ainda mais curiosa em conferi essa história que parece ser ótima.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Milena, que bom que se interessou. Acho que teremos sorteio de um exemplar aqui no blog, vai que vc tem sorte, né? Beijo e obrigada pelo comentário <3

      Excluir
  6. Oii, fiquei louca para ler esse livro parece ser uma ótima história, além de que adoro livros que a história se passa no passado.
    Bjoss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Flavia, fico feliz que tenha gostado da resenha. Obrigada! Beijo ;D

      Excluir
  7. Esse é aquele tipo de livro que so você lendo mesmo pra ter uma opinião concreta sobre ele, eu confesso que o que mais me chamou atenção nesse livro foi o contexto em que ele se passa que a época vitoriana. Resumindo eu daria uma chance a esse livro mas ele não esta na lista de prioridade agora ^^

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Rissia, isso mesmo, garota, de ele cair no seu colo, leia, kkkkk Beijo e obrigada pelo comentário!

      Excluir
  8. Eu gosto bastante de ler romances de época. Essa seria uma leitura bem interessante e uma boa experiência, pois os livros que li desse gênero as personagens principais eram mais inocentes que a desse livro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Fabiolla, a personagem principal é mesmo nada inocente e um tanto sofrida... Acredito que a gente sofra até mais que ela, kkkkk Beijo e obrigada!

      Excluir
  9. Lu!
    Gosto muito dos romances históricos e se tem um pouco de erotismo, melhor.
    Acredito que é daqueles livros que temos de ler com a mente aberta, porque nos deparamos com situações que talvez não aceitemos por causa da nossa criação.
    Gostei demais de saber que a autora é Alagoana.
    Quero ler.
    “Os covardes morrem várias vezes antes da sua morte, mas o homem corajoso experimenta a morte apenas uma vez.”(William Shakespeare)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    Participem do nosso Top Comentarista, serão 3 ganhadores!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Rudy, vale muito a pena dar uma chance, é um romance diferente e com muito estilo. Obrigada pelo comentário, beijo

      Excluir
  10. Oi Lu,
    Não fiquei tão empolgada para ler esse livro, talvez eu dê uma chance pelo fato de se passar na época vitoriana <333 e ter cartas <3.
    Beijocas ^^

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Larissa, que bom que se interessou mas não se empolgou, foi o meu caso. Obrigada pelo comentário, beijo

      Excluir
  11. Gostei muito de conhecer este livro ainda mais pela autora ser daqui.
    Adorei a premissa e apesar de achar exagerada a atitude da protagonista eu achei interessante.
    Fiquei chocada pelo cara ser casado e ter filhos.
    Cafajeste, nem devia passar perto de um prostíbulo.
    Mas isso deixa a trama interessantes e fiquei loca pra conferir.
    Super dica.
    Beijo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Edna, acontece muita coisa louca nesse livro, o caso de traição conjugal é o de menos, acredite, kkk Beijo e obrigada pelo comentário :D

      Excluir
  12. Oláá
    Ainda não conhecia o livro, mas já quero lê-lo, parece ser incrível, porém vou demorar um pouquinho pois estou lendo muitos livros nesse estilo e tenho medo de transformar esse gênero em massante, mas assim que voltar a ler o livro estará no topo da minha lista!
    Excelente resenha, me encantou!
    Bjoos

    Jovem Literário

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Eloísa, acredito que esse livro seja diferente de todos os livros de época que vc já leu, eu me surpreendi. Beijo e obrigada pelo comentário :D

      Excluir
  13. Gosto muito de ler romances históricos e para mim é um ponto positivo o livro não ser tão erótico como se supõe, gostei da resenha e tomara que lancem esse livro logo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Emanoelle, que bom que vc se interessou, depois me conta o que achou. Beijo e obrigada!

      Excluir
  14. Oie
    Eu me interessei por esse livro assim que vi a capa e esperava algo mais voltado pro erótico mesmo,mas gostei dessa surpresa.E eu adoro a Era Vitoriana,é uma ótima época pra histórias se passarem.Não curto muito drama mas estou confiante nessa leitura e quero conhecer esses personagens controversos e ver se vou me identificar ou não com eles.Parabéns pela resenha.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Letícia, obrigada pelo carinho, que bom que vc gostou da resenha. Espero que goste também do livro. Beijo ;)

      Excluir
  15. Luciana querida já tinha visto a capa desse livro pelas redes sociais, mas só agora lendo sua resenha percebi o quanto ele é interessante, fiquei curiosa e vou adicionar a minha lista de futuras leituras.
    Parabéns mais uma vez pelo texto, você soube ser objetiva e apontar o que mais gostou e o que te desgraçou na história.
    Confesso que só percebi que era autora nacional lendo o primeiro parágrafo do seu texto #vergonha Enfim valeu pela dica de leitura nacional!!!

    Leituras, vida e paixões!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Aline, seus comentários sempre aquecem meu coração. Agradeço com alegria e espero que vc goste do livro também. Beijo e mais uma vez obrigada!

      Excluir
  16. Sempre achei a capa do livro A Dama de Papel um arraso, por conta desse batom vermelho, amooooo demais!
    Desde que li a sinopse achei tudo bem interessante e fiquei bem curiosa pra saber mais de Molly e sua vida.
    Eu jurava que o livro era um de epoca desses mega erótico. Nao sabia que beirava ao drama e que a mocinha tem umas certas contradiçoes.
    Entendo a protagonista querer ficar livre, afinal ser mulher nao é facil agora, imagina aqueal epoca que sem um homem do lado nao valia nada.
    Acho que vi o livro por 9,90 na Amazon, vou comprar.
    Beijos.

    ♥ Blog Livros e Sushi ♥
    https://livrosesushi.wordpress.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Suzzy, 9,90 tem que aproveitar mesmo... Livro ótimo, vc vai gostar. Beijo e obrigada!

      Excluir
    2. Ja comprei e chegou hoje!!!! Vou ler e te falo!

      Excluir
  17. Oi, Lu!
    Gosto de histórias de amor mas não das sofridas, e as atitudes da mocinha junto com as do mocinho - não curto histórias onde os personagens principais são casados com outra pessoa - são difíceis de engolir, portanto, A dama de papel é um livro que eu não leria.
    Bjos!

    ResponderExcluir