2 de fevereiro de 2017

A Conquistadora - Teresa Medeiros

Livro: A Conquistadora (Lady of Conquest)
Autor(a): Teresa Medeiros
Número de Páginas: 336
Editora: Planeta/Portugal
Compre aqui.

Sinopse: Ele é Conn, das Cem Batalhas, o rei guerreiro que forjou uma nação numa terra de clãs isolados.Na qualidade de rei supremo da Irlanda,
dirige o lendário Fianna, o seu grupo de guerreiros de elite. Mas o misterioso assassínio de vários dos melhores homens de Conn ameaça
o trono.Conn parte sozinho em busca de um inimigo aparentemente invencível,sem saber que vai ter de enfrentar uma mulher de olhos
verde-esmeralda e cabelos cor de labaredas…Empunhando uma espada chamada Vingança,Gelina Ó Monaghan jura derrotar o homem que
considera o responsável pela ruína da sua família.Nunca imaginou que ele pudesse vencê-la em combate…e ao mesmo tempo conquistar o
seu coração.A sua paixão proibida transforma-se numa guerra travada com espadas e beijos, promessas e traições - e a rendição será apenas um início…

RESENHA por Luciana Corrêa da Silva.

Oi gente, como vão?

A resenha de hoje é de um achado. O livro que comprei por cinco euros em uma feira de pontas de estoque no Porto revelou-se uma grande obra, que eu adorei ler.

A Conquistadora é um romance de época, escrito por Teresa Medeiros e publicado cá em Portugal pela editora Planeta, no ano de 2011. Conn das Cem Batalhas, rei da Irlanda, é um homem que realmente existiu e foi ele quem unificou a Irlanda em uma só coroa.


Gelina Ó Monaghan é uma menina feliz em seu clã, ela vive com os pais e o irmão em uma casa bem estruturada e feliz. Ela tem onze anos quando sua vida muda totalmente, pois um belo homem de olhos risonhos, que a pega no colo e brinca com ela sempre que visita o pai, um belo dia entra por sua casa trazendo um banho de sangue. Todos morrem e ela e o irmão Rodney são obrigados a fugir para a floresta, mas não deixam para trás a espada chamada Vingança.

O tempo passa, e desde que eles passaram a viver na floresta, Gelina torna-se uma guerreira como nenhuma outra. Capaz de matar a sangue frio, possui habilidade suficiente para assassinar qualquer homem do Fianna (guerreiros do Rei) e, principalmente, o homem de olhos azuis que destruiu sua vida, o Rei Conn. Qualquer um que adentre na caverna será morto sem piedade.

Assim, cresce a lenda de que um misterioso monstro assassina homens do Rei Conn e, depois de cinco já terem partido para eliminá-lo, sem jamais voltar, o próprio rei decide que acabou a brincadeira, ele mesmo vai até lá dar fim ao assassino. Mas, assim que lá chega, não é com um monstro que ele se depara, e sim, com uma menina.

– Dá-me o punhal, rapariga – disse num tom suave.
Uma onda de calor e dor percorreu Gelina. Pestanejou para aclarar a visão. Conn aproximou-se. O punhal tremia-lhe com violência nas mãos.
– Daqui o punhal só sai para o teu coração, se não me deixares em paz – ameaçou ela.
– Não tens hipóteses contra mim neste momento. E não me apetecia nada magoar-te.
– Antes maltratada pela tua espada do que pelos homens a quem me vais entregar. As armas que usariam contra mim seriam mais terríveis do que qualquer das que tu trazes. Conn fechou os olhos por um breve instante.
–Falei sob a fúria e a pressa, rapariga. Só queria arrancar-te a verdade.
A gargalhada dela transformou-se num soluço.
– Mais mentiras. Saem tão facilmente de lábios macios como os teus. Continuas certo de que me convences com esses olhos azuis e amáveis. É tudo mentira. Uma mentira perversa. Dolorosa.
Sem baixar os olhos, Conn pousou a espada a seu lado. Levantou os braços num ato de rendição.
– O meu coração, milady. O meu coração pelo teu punhal. Em prova da minha lealdade.

Esse livro me conquistou e me fez perceber que será bem difícil de esquecê-lo. Nos embrenhamos na época medieval, onde a vida não era nada fácil e tudo era conquistado com muita luta e sangue. A Conquistadora é uma história de amor cheia de vingança, de paixão, de traição, de ódio… O leitor não é poupado de cenas de humilhação, estupro, mas também é banhado com a redenção e o perdão. É impossível ler e não sofrer junto com Gelina, nos apaixonarmos e ao mesmo tempo odiarmos o Conn, pois ele é amoroso, mas também um guerreiro impiedoso que não mede esforços para conseguir o que quer e também a prosperidade do seu reino.

Ambos são impiedosos, sanguinários e extremamente passionais. O amor deles é um tormento, onde nada é conquistado sem luta ou sem dor. Os personagens secundários são ótimos e entre eles temos o anão Nimbus, o bobo da corte. É pelas mãos dele que muita coisa acontece ou deixa de acontecer sem que ninguém saiba. Ler esse livro é como estar em uma montanha russa, os sentimentos são fortes e por muitas vezes contraditórios. Muitas coisas eu condenei, outras me irritaram profundamente, como cenas dramáticas e cheias de um amor que só o leitor vê, os personagens não. Afinal, é disso que um bom livro é feito, não?

Recomendo muito a leitura, para quem tiver a oportunidade. Espero que esse seja um dos muitos livros que quero ver publicados no Brasil. A capa deste é deslumbrante, a edição linda e com fita para marcarmos as páginas.

Beijinhos e até a próxima ;)

Outras capas: 

   




6 comentários

  1. Lu,
    Que resenha mais linda. Fiquei louca pelo livro e quase morri com esse quote. Quero muito que alguma editora publique por aqui.
    Beijo amiga.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Kati, fico tão feliz quando tu gostas das minhas resenhas... Queria muito te mandar tudo o que leio aqui de bom, mas tu já é uma criatura soterrada, né? kkk Espero, de coração mesmo, que alguém publique esse livro, é muito bom. Beijo, amiga, e obrigada!

      Excluir
  2. Oi Lu, como esse livro deve ser bom, tenho muita vontade conhecer os livros dessa autora e fico só sonhando que alguma editora vai lançá-los por aqui :) A história parece ser intensa e romântica e só fiquei com uma dúvida, Conn é o estranho que destrói a família dela e a obriga a viver na floresta?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Lili, obrigada por estar sempre por aqui, comigo e com o blog... Sim, ele é sim aquele que brincava com ela quando criança, que visitava a casa, mas ele descobre umas coisas que não posso te contar e, como homem justo que é com seu povo e sua terra, terá que fazer justiça. As coisas saem do controle e acaba por acontecer uma tragédia, mas ela é criança e manipulada pelo que o irmão diz, sente por Conn uma raiva desmedida... O livro é bem bom, espero que possas ler qualquer dia desses. beijão

      Excluir
    2. Eita que esse irmão deve ser super chato kkkkk vou procurar pra ler e depois te digo o que achei :)

      Excluir
  3. Olá, Lu!

    Amei a resenha! Você não faz ideia de como sou louca por esta história! Até hoje sinto toda a confusão de emoções que tomou conta de mim quando a li. Gelina e Conn ficaram cravados no meu coração. Podem se passar 10, 20, 100 anos... nunca serei capaz de esquecê-los. Que casal intenso! E a cena quando ele diz que vai cair... Deus do céu! Que cena!

    "- Faz qualquer coisa por mim, minha Gelina - disse, arrastando as palavras. - Vou cair. Depois disso, peço-te que me mates ou me abandones."

    Esta é uma das cenas mais marcantes do livro. Sempre me vem à memória.

    Bjs!

    ResponderExcluir