1 de maio de 2017

Ligeiramente Perigosos - Mary Balogh

Livro: Ligeiramente Perigosos 
(Slightly Dangerous)
Os Bedwyns #6
Autor (a): Mary Balogh
Número de Páginas: 304
Editora: Arqueiro
Compre aqui e aqui.

Sinopse: Aos 35 anos, Wulfric Bedwyn, o recluso e frio duque de Bewcastle, está ávido por encontrar uma nova amante. Quando chega a Londres, os boatos que correm são os de que ele é tão reservado que nem a maior beldade seria capaz de capturar sua atenção.
Durante o evento social mais badalado da temporada, uma dama desperta seu interesse: a única que não tinha essa intenção. Christine é impulsiva, independente e altiva – uma mulher totalmente inadequada para se tornar a companheira de um duque. Ao mesmo tempo, é linda e muito, muito atraente.
Mas ela rejeita os galanteios de todos os pretendentes, pois ainda sofre para superar as circunstâncias pavorosas da perda do marido. No entanto, quando o lobo solitário do clã Bedwyn jura seduzi-la, alguma coisa estranha e maravilhosa acontece. Enquanto a atração dela pelo sisudo duque começa a se revelar irresistível, Wulfric descobre que, ao contrário do que sempre pensou, pode ser capaz de deixar o coração ditar o rumo de sua vida.
Em Ligeiramente perigosos, o sexto e último livro da série Os Bedwyns, Mary Balogh conclui a saga desta encantadora família em uma trama repleta de cenas sensuais, tiradas espirituosas e personagens à frente de seu tempo. Ao unir um homem e uma mulher tão diferentes, ela mostra que o resultado só poderia ser um par perfeito.

RESENHA por Katielle Borba.

Oi, gente!

A resenha de hoje é do último livro da Série Os Bedwyns. Ligeiramente Perigosos é da autora Mary Balogh e publicação da Editora Arqueiro.

A Luciana já fez a resenha deste livro, vocês podem ler clicando aqui.

Essa série foi me conquistando aos poucos; no primeiro livro não fiquei muito emocionada, porém, conforme as histórias vinham eu ficava mais ansiosa pelo próximo. Desde o meu primeiro contato com os irmãos, tive muita curiosidade a respeito do Wulfric, o irmão mais velho, aquele que ainda muito novo ocupou o posto de duque e também que, muito novo, teve um mundo de responsabilidades às suas costas.

Para mim, pensar no Wulf é como tentar decifrar um enigma misterioso. Desde o primeiro livro tivemos algumas passagens, pequenas coisas que nos mostravam como ele era, mas nada que nos fizesse identificar sua verdadeira essência. O Wulf é um homem misterioso, fechado e frio; os olhos dele não transmitem emoção alguma, só parecem duas piscinas de gelo. A sociedade inteira concorda que quando ele adentra em algum ambiente a temperatura cai; as mães já desistiram de tentar casar suas filhas com ele e, praticamente todo mundo, o acha arrogante e dono do mundo. Estou aqui para defender este homem, pois se ele verdadeiramente existisse, a pessoa que fosse sua companheira teria a maior sorte do mundo, Wulf é incrível! A pessoa só precisa ter paciência e compreensão porque vale a pena enfrentar o mundo somente para ter um dos seus raros sorrisos.

Ligeiramente Perigosos trata da história do nosso mocinho de gelo Wulf e da indomável Christine. Os dois se conheceram em um evento no campo, aquelas festas que duravam duas semanas e que tinham vários atrativos. Desde o início, o envolvimento deles foi estranho, pois a Christine é conhecida pelas confusões que arruma. Nessas duas últimas semanas Wulf, que não é dado a confusões ou comoções, estava envolvido em algumas delas. As pessoas começaram a falar e Wulf a observar melhor a moça; ela era imprópria para uma duquesa, a origem dela era humilde e seus modos não eram refinados, mas mesmo assim havia algo nela que o deixava fascinado. O que ele não espera é que Christine o rejeite, mas ele está mais do que disposto a fazê-la mudar de ideia.

Ligeiramente Perigosos era o livro mais aguardado por mim, minhas expectativas eram tantas que nem cogitei a ideia de ser uma decepção. AMEI! Amei, desde a primeira a última linha, amei os personagens, amei a trama e me apaixonei perdidamente pelo Wulf. A história é narrada em terceira pessoa e alterna entre os dois protagonistas, mas também temos umas participações dos irmãos. O livro é bom, é envolvente e fluído. A trama nos deixa aprisionados e é impossível largar o livro para fazer qualquer outra coisa. A história é daquelas que nos faz sentir todas as emoções possíveis; em determinados momentos estamos felizes, torcendo pelo casal, mas em outros já queremos bater na cabeça de alguém e ainda existem aqueles momentos em que queremos abraçar, proteger e dar carinho para o casal principal.

A autora nos fez conhecer um Wulf que não existia. Ela nos faz perceber o quanto ele é humano, que também é só um homem que tornou-se solitário depois que todos seus irmãos formaram família. Desde o primeiro livro ele já demonstrava algumas atitudes que não condiziam com o que pensavam dele, mas isso só nos bastidores, afinal, ele é um duque e precisa se portar como tal, proteger os irmãos e os interesses da família.

A Christine veio como um sopro de vida nova; ela é tudo que Wulf abomina, mas mesmo assim ele não consegue manter-se distante. Ela causa confusões, é atrapalhada, muitos dizem que é uma sedutora, mas ele só consegue enxergar o brilho travesso que ela leva no olhar e a coragem que tem de enfrentá-lo.

Eu poderia ficar aqui, escrevendo muitas coisas, escrevendo que teve cenas que ficarão gravadas na minha memória, cenas que me arrancaram gargalhadas e outras que me fizeram ficar engasgada. Mas, eu só quero pedir para que vocês leiam. Esse livro é lindo, é perfeito e é tocante. Obrigada a Editora Arqueiro pela publicação dessa série maravilhosa, obrigada por eu ter o privilégio de ler a história do Wulf.

Ele estava com o monóculo na mão novamente. E ergueu as sobrancelhas num expressão que certamente seria capaz de congelas as uvas nas vinhas e estragar a colheita de um ano inteiro.
E encantado era o diabo. Ele estava quase cego por causa da atração que sentia por ela. 
Estava apaixonado, maldição. Não gostava dela, se ressentia dela, desaprovava quase tudo o que dizia a respeito a ela, e ainda assim estava perdidamente apaixonado, como um colegial tolo.
Wulfric se perguntou sombriamente o que iria fazer a respeito.
Não estava achando aquilo divertido.
Ou agradável de nenhuma forma. 

Leitura recomendada.

Os Bedwyns:
06. Ligeiramente Perigosos;

Outras capas: 

   




2 comentários

  1. Oi Kati, tô esperando o meu chegar e de tão ansiosa que tô por ele já reli o primeiro da série (que foi um dos meus favoritos). Nessa releitura me lembrei que já gostei de Wulf desde o começo, pois fiquei comovida e intrigada com uma cena em que Eve diz que ele não ama os irmãos e ele fica pensativo, nos livros que vem depois vemos que isso não é verdade e Wulf foi crescendo e me conquistando tanto que tô roendo as unhas por seu livro haha...

    P.S: fui relembrar a resenha de Lu e gostei da foto que tá representando Wulf, tinha esquecido dela, já vou arquivar pra usar na minha imaginação durante a leitura kkkkk

    Amei as duas resenhas <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Lili!
      Nossa, você vai amar esse livro, sem dúvidas é o melhor da série.
      O Wulf é incrível e é impossível não ficar apaixonada por ele.
      Obrigada pelo carinho de sempre.
      Beijo.

      Excluir